Congresso em Foco

Aliança pelo Brasil não atingiu a quantidade necessária de assinaturas para oficializar a criação do partido antes das elições de 2022. Foto: Lauriberto Pompeu

Partidos vão ao CNJ contra apoio de cartórios a Aliança pelo Brasil

15.01.2020 18:07 8

Publicidade

8 respostas para “Partidos vão ao CNJ contra apoio de cartórios a Aliança pelo Brasil”

  1. CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

    kkkkkkkkkkkk… a esquerdalha PIRA!!!! O partido do PRESIDENTE BOLSONARO vai ser criado.. e vai eleger MUITA gente. A esquerda vai ter de aprender.. vai ter de engolir.. QUE O BRASIL MUDOU. Não vamos permitir JAMAIS que a esquerda volte ao poder.

    • Edileine DOS SANTOS NAVARRO disse:

      Carlos, não tem problema nenhum fundar o próprio partido; é direito dele como cidadão. Porém, ele precisa seguir os trâmites legais, como qualquer outro partido. Ele está se valendo do cargo de Presidente e isto pode ser considerado sim, improbidade administrativa. E, esqueça essa de esquerda ou direita, a lei é para todos!

      • CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

        Edileine… não existe MANEIRA de se fundar um partido se não for DENTRO da lei. Não há NADA que o Bolsonaro possa fazer diferente disso. Não há crime nenhum sendo cometido. Zero. Só é chato.. medianamente cansativa esta tentativa diária da esquerda que ainda vive na mídia em tentar encontrar problema e crime em TUDO o que o governo Bolsonaro faz. Digo chato e cansativo, sem mencionar o quanto é hipócrita.. visto que esta MESMA parte da mídia assistiu a TUDO o que a parte IMUNDA da esquerda que vive em torno do nove dedos fez.. e não falou NADA.

        • Edileine DOS SANTOS NAVARRO disse:

          Carlos, não costumo responder as réplicas, mas você foi bastante educado então acho que é um debate sadio, pois geralmente me respondem com palavrões e ofensas. Vivemos numa democracia e então é natural que haja direita e esquerda e pensamentos divergentes. E, existem muitas pessoas, que apesar de serem de esquerda, não apoiam mais o Lula. Há muito pouco tempo, pessoas de direita e esquerda, conviviam umas com as outras, sem maiores problemas, apesar de suas ideologias. Hoje vemos parentes e amigos que não se falam mais, pois está tudo muito polarizado. A mídia faz o papel dela. Quando era o governo Lula e Dilma, a Folha e a Globo (estes dois principalmente), procuravam tudo de ruim também. Isso também faz parte da democracia, concordar ou discordar do que o governo tem feito. Eu acho que é uma forma de cobrança e vigília. E, voltando a matéria do novo partido; se os partidos foram a CNJ, é porque realmente há algo de errado e caberá ao orgão julgar. Abraços!

          • CARLOS ALBERTO RANGEL disse:

            Meios de comunicação procurarem o lado ruim é comum.. dá mais ibope. VEja os programas, em tv aberta, de todo final de tarde como exemplos. NO entanto.. no caso do comportamento da Folha em relação ao Bolsonaro.. existe o ingrediente DESONESTIDADE. Não se trata de apresentar o que é “ruim”.. me sim INVENTAR e ainda por cima dar muito espaço a safadezas (vide intercept). Colocando em manchete que seria VERDADE o que não passa de falácia. De qualquer forma.. o que causou a cisão entre direita e esquerda no Brasil.. foi justamente o comportamento do luis inácio.. ao dizer muitas e muitas vezes “nós contra eles”. E isso é 100% inaceitável. Some-se a isso o fato de que luis inácio era na verdade um ladrão corrupto, um chefe de quadrilha.. e não o “pai dos pobres” que ele dizia ser. Então.. ESTA esquerda.. a esquerda que orbita o luis inácio.. JAMAIS será aceita novamente no poder. Se a esquerda quiser se reinventar, e obrigatoriamente ACEITAR e DIZER que o luis inácio e sua turma ROUBARAM o Brasil e enganaram o povo… poderemos SIM retomar o diálogo com a esquerda. MAs SEM nenhum traço de acordo com luis inácio e sua turma. ESTA esquerda imunda.. NÃO terá acordo ou trégua nunca.

          • roberto azmann disse:

            Edileine, lembro-me de quando o lula foi derrotado pelo fhc, montou um governo paralelo, com ministérios e tudo, dizendo que iria tumultuar o governo central.
            Isso, é o que está fazendo a esquerda derrotada de hoje, vingando-se pela nova derrota para o Bolsonaro.
            Não importa pra eles, se o prejudicado é o Brasil.
            Qual é o medo pelo Bolsonaro formar um novo partido?

          • Edileine DOS SANTOS NAVARRO disse:

            Olá, Roberto! Lembro-me que o Lula fez isso sim, total oposição; votavam contra só para ser contra. Sobre o partido que o Bolsonaro quer fundar, da minha parte, medo nenhum. Ele tem todo o direito, como qualquer cidadão. Mas na minha opinião e como pude ler em várias matérias, ele não está seguindo os mesmos trâmites que os novos partidos precisam seguir; então está se valendo do cargo e isso é que é errado. Deixo claro que não votei no Haddad e nem no Bolsonaro e me desculpe; eu acho errado tudo que acontece compararem com o Lula. Cada um é cada um e o Lula ou o PT não estão mais no governo.

          • roberto azmann disse:

            Olá, Edileine.
            O que está acontecendo, desde a campanha de 2018 é que, praticamente toda a mídia está fazendo oposição sistemática a tudo que o governo federal propõe.
            Essa mídia esquerdista está tendo o seu espaço e a sua influência, diminuídos, além dos seus costumeiros privilégios.
            Ninguém deles quer que o Bolsonaro crie um novo partido, porque sabem que não teriam influência nesse partido.
            Criar um partido, costumeiramente, é um processo muito demorado para qualquer um, como tudo no Brasil.
            Acontece que as pessoas podem e devem procurar meios legítimos, para simplificar a vida das outras pessoas.
            O que os interessados em formar o “Aliança pelo Brasil” estão tentando, legalmente, é desburocratizar, ou seja, alcançar os 500 mil filiados necessários, através de registro de filiação em cartório e, inclusive, com o uso de certificado digital.
            O que há de ilegal nisso?
            Nada.
            Acontece que as pessoas contrárias, têm medo de competir com o Bolsonaro.
            As coisas mudam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via