Congresso em Foco

Deputado enxerga pouca probabilidade de aprovação de aspectos de pouco peso eleitoral da PEC [fotografo] Pablo Valadares/Câmara dos Deputados [/fotografo]

Fim da estabilidade não é solução para o problema do mau servidor, diz Kim Kataguiri

19.09.2020 08:40 13

Publicidade

13 respostas para “Fim da estabilidade não é solução para o problema do mau servidor, diz Kim Kataguiri”

  1. Valdir disse:

    Esse Kim Katacokim é um IE. Foi querer lacrar em cima do Celso Russomano e levou uma invertida feia.
    A estabilidade é um cancro na Administração Pública. Mas tem que acabar para TODOS!
    FIM DA ESTABILIDADE JÁ!

  2. Caio Vinícius disse:

    Poder demitir servidor é puro patrimonialismo. Se o cara não trabalha direito, reduz gratificação que pode ser uma parcela grande do vencimento. Sou servidor e 60% do meu pagamento é proporcional a avaliação q recebo. Mas esta parcela pode ser maior.

  3. Ermelindo Rodrigues disse:

    Se a Reforma Administrativa atingir todos os escalões, já será um bom começo. Mas a nata do funcionalismo público mais uma vez está e fora.

  4. Jorge Teixeira Carneiro disse:

    Fim da estabilidade não é a solução. A solução é poder demitir. De que adianta aprovar o fim da estabilidade, se ninguém vai ser mandado embora. Mais uma lei pra inglês ver.

    • Rodrigo Homer disse:

      Mas já pode, uai. Existem meios de demitir o mau servidor, isso não é novidade. Já acabar com a estabilidade, também acho que não resolve pois como eu mencionei num outro comentário, vai ficar pior do que já é em termos de corrupção e favorecimento a certas pessoas ou grupos porque é muito mais fácil pressionar um servidor que não tem estabilidade. Imagine um auditor da receita investigando alguma fraude financeira? Dependendo de com quem ele mexer, perdeu o emprego…

      • Jorge Teixeira Carneiro disse:

        Comentário controverso. Se já existe a demissão de funcionários público, então já deve ter gente sendo demitida a pedido de alguém.

        • Rodrigo Homer disse:

          Não vejo onde. Os requisitos legais são completamente diferentes, meu amigo. Não confunda o funcionamento da CLT com funcionalismo estatutário. Quem é estatutário é bem mais difícil de sofrer perseguição e perder emprego por isso devido à estabilidade que querem extinguir. Já o mau funcionário, desde que, atendidos os critérios legais para tal, pode ser demitido por desempenhar mal suas atribuições.

          • Jorge Teixeira Carneiro disse:

            É só ver o caso de juízes e desembargadores corruptos que são punidos com a aposentadoria compulsória. Vão para casa curtir o descanso.

          • Rodrigo Homer disse:

            Judiciário é uma “casta” diferente, ainda não percebeu? Esse tipo de aberração é inerente a eles. Se pensa que a esmagadora maioria dos servidores públicos possuem esses privilégios, venho aqui pra te dizer que está muito longe da realidade…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via