Futura ministra de Direitos Humanos cogita criação do “Estatuto da Grávida”

abortoDamares Alvesequipe de transiçãoEstatuto do Nasciturogabinete de transiçãogoverno Bolsonarogoverno de transiçãoMinistério dos Direitos Humanos
Comentários (7)
Comentar
  • Flávio Maya

    Sandice maior, e isso chega ao cúmulo do inacreditável, é forçar uma mulher estuprada a ter uma criança que foi vítima deste estupro.

    • luciano damiao

      cara, parem o mundo que eu quero descer. é uma loucura atrás da outra…

    • Hilton Soares

      Se informem melhor a respeito… ela não pretende forçar a mulher estuprada a ter a criança.
      Ela disse que pretende manter as regras vigentes , ou seja as mulheres continuarão tendo o direito de abortar em casos de estupros, mas aquelas que optarem por livre espontânea vontade ter o filho, poderão receber o auxilio.

  • luciano damiao

    Inacreditável a sandice desse senhora, o que vai ter de mulher engravidando e dizendo que foi estuprada e óbvio não conseguindo identificar o estuprador, vai sobrar a conta para o governo pagar, ou melhor, nós contribuintes…

    • Hilton Soares

      Acredito que a mulher terá que provar que foi estuprada pra receber o auxilio…

      • luciano damiao

        e como se faz isso? óbvio que vai ter muitas fraudes…

        • Hilton Soares

          Há o exame de corpo de delito…
          Assim como não é passível da mulher simplesmente apontar para o cara e dizer que ele a estuprou, para que esse seja condenado, certamente se esse projeto for aprovado a mulher deverá apresentar provas conclusivas de que sofreu o abuso, para que receba o auxilio.