Partidos vão ao STF contra juiz de garantias

Alvaro DiasJair Bolsonarojuiz de garantiaspacote anticrimepodemosSérgio MoroSTF
Comentários (8)
Comentar
  • darcy

    SOU BOLSONARISTA, MAS SOU CONTRA JUIZ DE GARANTIAS.
    SÓ VAI SERVIR PARA FAVORECER BANDIDOS.
    ALIÁS, NEM PODERIA SER DIFERENTE.
    QUEM ACRESCENTOU ISSO À LEI, FOI AQUELE COMUNISTA VAGABUNDO DO psol, O marcelo frouxo.

  • JOTAT10

    Esse Alvaro Dias Paranaense de tantas eleições, que já foi de enésimos partidos, só vive de momentos polêmicos pra aparecer nas mídias, sem dizer que nas últimas eleições se achou candidato forte e se arriscou a ser presidente e quebrou a cara, perdeu até pro insosso ex governador Alckmin o governo mais blindado do País aonde as CPIs não foram pra frentes, e agora que não vai mais com um aliado sendo chefe da Policia Federal do Pais, as esse Alvaro é uma HIENA como falou o Presidente atual, vive de Carniça pra ficar devorando, como gosta de ser protogonista, e agora está num partido chamado PODEMOS, pode isso, e agora se intromete em algo já assinado pelo comodante do país que ele ajudou a colocar e agora vem com essa pra ficar com peninha daquele que prometeu se ganhasse a eleição seria o que é hoje no governo atual o Ministro da Justiça, ele deu a dica e o governo atual abraçou a ideia e hoje o do pacto esta empregado. Portanto tomara que esse Joanota do PR não consiga o seu intento. https://media3.giphy.com/media/QIPEV0HWAiXVm/giphy.gif

    • darcy

      Eu acho que o senador Álvaro dias, homem íntegro, se rebaixou muito ao concorrer com o poste malddad.

  • Valdir

    Todos sabiam da inconstitucionalidade, mas quiseram num acordo, jogar uma bomba no colo do Presidente e ele malandramente jogou de volta no colo do Congresso!

    • darcy

      Se foi isso, foi um golpe de mestre.
      BOLSONARO 2022, 2023, 2024, 2025, 2026.

  • Adyneusa Moura Oliveira

    Do que tem tanto medo? de perder o poder absoluto?

    • Felix

      Não, de perder mais um pouco de justiça que já está tão lenta, fraca, e injusta. Já temos a segunda instância para verificar mais uma vez, e por um colegiado de juizes, ou que foi feito na primeira.

    • Elena

      É isso aí, Adyneusa! É só ler o que disse o jornalista Fernando Brito no seu blog Tijolaço para entender o é da coisa: “Mas por que, então, tamanha reação corporativa? Simples e compreensível para a maioria dos que conviveram com ações judiciais: muito juízes se tornaram “donos” do processo e passam a conduzi-lo apenas segundo as suas convicções ou orientações político-ideológicas e isso sofrerá limitações: um juiz “mão pesada” na instrução criminal poderá ser limitado por outro, mais equilibrado, na fase de julgamento e, ao contrário, uma investigação desidiosa poderá ser suprida na fase de interrogatório, com a produção de provas pelas partes.

      E, claro, vai reduzir em muito o que todos sabem que existe, mas ninguém admite: a “panelinha” que acaba se formando, em muitos casos, entre juiz e promotor(es).

      Se ambas as situações foram vestidas como carapuças pela Lava Jato, mais uma razão para a mudança ser um passo à frente na administração da Justiça”.