Bate-boca entre Barroso e Gilmar Mendes vira música e até poema nas redes sociais. Veja principais memes

crise brasileiradiscussão no stfGilmar Mendesgilmar x barrosointernetLuís Roberto Barrosomemesredes sociaisSTF
Comentários (38)
Comentar
  • maxxpinhead

    é bilis é ódio é um mal sentimento

  • pedro-brás

    gilmar mendes é o suprassumo do mal, uma chaga fétida e pútrida no STF, o algoz que mata a Justiça e envergonha a toga.

  • João Guilherme Maia

    O Brasil a cada dia se complica ainda mais. Com certeza o povo brasileiro de bem do país, que ainda são a maioria dos brasileiros, com certeza esperavam outra atitude dos ministros do STF. Como pode livrar o pior bandido que já apareceu na política Nacional, além de ser corruPTo, sempre teve um único sonho para o Brasil, que é transformá-lo num país comunista, para ele assumir como ditador do Brasil nos moldes do seu câmara, já falecido Fidel Castro. Mas o STF não perde por esperar, se os ministros do STF teimarem com essa atitude de livrar o Lula da prisão, com certeza o povo, irá para as ruas e solicitará uma intervenção militar como fez em 1964 e com certeza todas essas instituições que foram contaminadas com esses treze anos desse desgoverno do maior presidente corruPTo que entrou pobre para a presidência da República e saiu milionário, com direito de sair até em capa de revista Norte Americana, que trata dos milionários mundo a fora. Elas serão fechadas e sabe o que acontecerá com alguns ministros do STF, sairão algemados de lá igual o ex-governador Sérgio Cabral. https://uploads.disquscdn.com/images/216032d4dccca4d814c63be840ed8f9544bf296b96a91403b7adcee9bf6ab096.jpg

  • Edmilton Neves

    Claudiney José, gostei de todas as suas intervenções aqui. Visão e opinião sensatas a respeito do cenário político brasileiro e de suas composições entre poderes. Mas precisamos (cada brasileiro), sim, continuar a nos manifestar e nos mobilizar para acabar com indicação política ao STF. Vejamos o Imposto Sindical, por exemplo. Pensava que jamais seria extinto. Veja onde ele está, embora haja uma quadrilha organizada tentando ressuscitá-lo.

  • Walter Vieira Poltronieri

    Cadê a paródia musical que o José Simão apresentou no vídeo dele hoje?

  • Luiz Alberto

    Sim, vamos fazer piadas! nós somos a piada, a democracia é uma piada, o Brasil ? nem se fala…

  • Reis Roberto

    Mas que o “Ministro do Mal” é escro to é.

  • Rachel Palhares Alcantara

    segue o teatro político!!!

  • João Guilherme Maia

    HOJE SERÁ O DIA NO STF QUE LIVRARÁ O LULA OU NÃO DE IR PARA A PRISÃO
    Bem o STF só tem duas opções que é conceder o Habeas Corpus ou não para livrar o Lula de ser preso com a determinação da turma do TRF-4, em Porto Alegre na segunda-feira (26). Agora com a determinação do STF, nós iremos saber de vez de que lado eles estão do lado do país ou do pior bandido que já apareceu na política Nacional, que quando presidente da República saiu distribuindo os nossos pesados impostos para várias ditaduras comunistas africanas e da América Latina, através de empréstimos fraudulentos do BNDES, o pior que esses empréstimos não estão sendo pagos, como o da Venezuela. Se os ministros do STF optarem por livrar o Lula, eles estarão confirmando o que falou a ex-ministra Eliane Calmon, quando disse “o STF está cheio de bandidos de togas” e também confirmará o que o próprio Lula falou a respeito do STF, que foi o STF é uma “M”.

  • neli faria

    Uma vergonha. Aliás, em grandes democracias do mundo, os julgamentos não são televisionados. JABUTICABA desmoralizadora do Poder Judiciário.

    • eduardo barbosa vilas boas nev

      Não entendi a questão de se televisionar ou não. Ao meu ver, a transmissão ao vivo é algo que fortalece a democracia através da transparência. Ou você queria que o STF fosse um porão de onde só saísse aquilo que fosse conveniente?

  • Luís Aurélio

    Estou preocupado. O Brasil já viu baixaria em vários lugares: Na TV, na música, na propaganda, nas eleições, no congresso (inclusive com um assassinato causado pelo Arnon)… Mas no STF, uma casa que o povo imagina que palavras de médio calão não tem vez (imagina o baixo), eu jamais vi um espetáculo tão deprimente…

    É o fim do Brasil…

  • Alfredo Sternheim

    Claro que o barraco adquiriu ampla ressonância. Dessa maneira, o STF maquia a sua fraca produtividade, a sua conduta arrogante e lerda. Ontem, mais uma vez, adiaram deliberar sobre o auxílio residência, essa medida legal mas imoral que favorece membros de judiciário que se apequena cada vez mais, assim como o STF que também exagera na retórica sem síntese. Enquanto isso ressoam palavras bravas, mas são palavras ao vento , como escrevi no Face. Amanhã, ninguém mais lembra. Nem eles, ministros, no cafézinho.

    • Claudiney José

      E o pior. Engolem as decisões tomadas ou não tomadas como se a lei fosse eterna e imutável. Vinda de um ser que a nos impões sem deixar espaço para contestação que não seja reclamar entre nós ou fazer piada. Uma decisão importante, como a do Foro, mesmo já decidida pelo placar, pode ser protelada indefinidamente porque um único cidadão pediu vista. Demos o poder a este cidadão, ele fez mal uso, debochou de nós sob uma autoridade recebida da sociedade. Mas não acordamos e não percebemos que podemos exigir que leis inúteis e mal empregadas podem e devem ser modificadas.

    • Emerson Gabriel

      Fraca produtividade? Que exagero… mas já que mencionou hoje (22/03) foi a ultima seção do mês, STF volta dia 04/04… FELIZ PASCOA a todos menos pra quem paga o salario daquela corja de vagabundos.

  • MEIO KILO

    O GILMAR BOCA DE CAÇAPA MUDOU DE OPINIÃO A RESPEITO DE PRISÃO APÓS CONDENAÇÃO EM SEGUNDA INSTANCIA. MAS TAMBÉM ATÉ EU MUDARIA POR DEZ MILHÕES DE REAIS. ATÉ CHAMARIA LULA DE INOCENTE.

  • Claudiney José

    Isso! Vamos fazer piada. Ao invés de cobrar que ministros do supremo deixem de ser escolhidos por políticos. Que tenham o mandato restrito não apenas pela idade. Que os pedidos de vista tenham prazo definido e breve para respostas. Mas não, vamos apenas reclamar e satirizar.

    • Cecília

      vc já fez isso? já se mobilizou?
      Ou está cobrando algo que nem vc faz?

      • Claudiney José

        Cecília, estou usando este espaço para isso. Na minha condição e local, infelizmente, é só o pouco que posso fazer. Por favor, caso tenha alguma ideia melhor, conte comigo. Sério, tenho muito desejo de participar de alguma mobilização sobre nosso fraco STF, mas não vejo como.

    • Gustavo Caldas

      Não é escolhido por “políticos”, é pelo Presidente. Queria que fosse por quem? Por eleição?? Já imaginou? Quem estaria lá, considerando nossos representantes no Congresso?

      • Claudiney José

        A escolha do presidente passa pelo congresso. Sem contar que dificilmente ele escolhe sozinho, ou seja, sem a influência de demais políticos, entre outros. O próprio judiciário poderia escolher seus representantes máximos em votação direta. Sei que também não são santos e que não seria garantia de perfeição, mas ficara ao menos melhor que a politicagem instaurada de agora. Também seria mais condizente com a composição dos 3 poderes. Claro que sem a vigilância da sociedade, sempre fica brecha para abusos.

        • Gustavo Caldas

          É o que o Nai F falou acima. Executivo e Legislativo participam como contrapeso ao Judiciário, para equilíbrio entre os poderes. Mas o Congresso raramente vai conta a indicação, normalmente é só um “carimbo” formal. E, se deixasse só por conta do judiciário, acabaria caindo no corporativismo… Veja o que acontece nos tribunais estaduais. A filha do Fux e do Marco Antonio Mello são motivo de piada. Mas são desembargadoras… Processo de escolha delas foi ridículo.

          • Claudiney José

            Gustavo, se formos olhar apenas a teoria, até o comunismo poderia ser viável, mas a história já mostrou ser impraticável. Teoricamente, não teria porque nosso país não funcionar. Não mudar porque não vai ficar perfeito costuma ser alegado por quem se beneficia do estado atual. Claro que não vai ficar infalível. Sei que há corporativismo, mas é bem menos que a jogatina do legislativo. Sem contar que o modelo atual não impedi isso. Basta ver o que fizeram Fux e Lewandowski em prol da classe. Ou seja, no formato atual, atuam pelos seus e pelos politicos que os colocou lá. Ficando nas mãos do judiciário não seria perfeito, mas mais fácil de cobrar e monitorar.

      • Júlio Sortica

        Caro Gustavo, nem por indicação, que pode induzir e tornar os indicados reféns dos indicadores, nem por eleição ou indicação do próprio Judiciário, que pode dar margem aos corporativismo, mas quem sabe por Concurso ou Prova de Habilitação, alguma forma de comprovar o ingresso por competência e não por apadrinhamento. A quem cabe mudar o processo de preenchimento de vagas? E outra questão, porque a carga ou privilégio duplo: a composição do TSE TAMBÉM tem vagas para ministros do STF. Qual o motivo? Não temos profissionais competentes o suficiente para que o TSE seja composto por ministros com dedicação exclusiva. Essa talvez seja uma das razões para atrasos em vários processos nas duas casas.

        • Claudiney José

          O problema de um concurso, Júlio, é que se trata da mais alta corte. Ou seja, quem estaria habilitado a aplicar a prova? E outra, concursos também podem ser fraudados. Não há forma perfeita, penso na eleição, pois o problemas do corporativismo vai existir em qualquer outro formato também (seja indicação ou concurso). Os juízes são concursados e amplamente corporativistas. Mas no caso da votação entre os membros do judiciário, ao menos diminui a interferência entre os poderes e fica melhor definido o foco de cobrança para a imprensa e sociedade.

    • nai f

      Claudiney, desculpa, mas vc sabe pelo menos o porque de os ministros do supremo serem escolha política? A escolha dos ministros do supremo faz parte de um intricado sistema de pesos e contrapesos que visa impedir que um dos poderes (legislativo, executivo e judiciário) tenham mais importância sobre outro. No Brasil, tendo em vista a herança monárquica e ditatorial, o executivo é tradicionalmente a mais expressiva das manifestações de poder. Logo, que tal de, ao invés de mandar parar de ser uma escolha política (o que, em um estudo mínimo é algo não só impossível, como desequilibraria ainda mais uma balança capenga), que tal exigir que que as listas de indicação de ministros elaborada pelo judiciário e o controle exercido pelo legislativo sejam mais rigorosos?

      • Claudiney José

        Nai f, o problema é que, objetivando coibir excessos do judiciário, acabou desequilibrando em favor dos outros dois. Não seria mais simples haver um mandato de 4 anos também no supremo? Justamente por um maior equilíbrio entre os poderes (alternando ao executivo para evitar paridade). Também por mais equilíbrio, penso que o executivo não deveria poder escolher quem pode vir a julga-lo. Sei que é uma mudança utópica, mas mais porque engolimos leis come se fossem imutáveis. Ora, se a lei não corresponde ao ideal, que haja pressão para mudanças. Se esconder atrás de uma constituição imatura de apenas 30 anos, é o que eles fazem para amparar sua visível fragilidade em benefício próprio. Exigir rigor no formato atual, infelizmente não foi suficiente. Houve muita pressão contra a indicação do Toffoli e, depois, do Morais, mesmo assim…

    • Nica Sarai

      Concordo ! Qualquer trabalhador brasileiro tem que respeitar prazos para terminar um projeto…. E esses senhores, porque não têm prazo pra nada ? Isso é uma afronta ao cidadão !!! Esses caras não fazem é nada !!! É uma enrolação só !!!!! Não trabalham !!! Fazem de conta que trabalham !!! O país pegando fogo e os senhores do stf tiraram uma semana de férias, sem mais essa nem aquela….. São irresponsáveis, levianos, caras-de-pau mesmo !!!!! Se o país não se livrar dessa corte que não serve pra nada a não ser onerar gravemente a folha de pagamento do governo, e de outros que tais, nunca sairemos desse patamar de desenvolvimento…. Penso, até, que é exatamente isso que eles querem !!! Que fique tudo como está, porque para eles está ótimo como está !!!!!!

  • Ricardo Fiorin

    Incrível a capacidade do brasileiro fazer chacota e graça de questões que podem influenciar diretamente com suas vidas. Dá a sensação acham graça e pouco se importa com o fato em questão ou simplesmente não tem noção da gravidade da situação e para se achar “engraçado ou descolado” fazem este tipo de coisa é bem ridículo na minha opinião……..Mas em fim cada um faz oque quer e oque se sente bem em fazer.

    • ninguém

      Melhor dar uma atenção bem-humorada que atenção nenhuma.

      • Ricardo Fiorin

        respeito sua opinião, mas prefiro pensar que questões sérias levadas através de chacota, piada ou forma “bem humorada” não merece ser levada a sério…….. muito pelo contrário.

        • luiz

          Mesmo que a gente não ache graça, o que podemos fazer para alterar a situação no STF ??? Absolutamente nada no momento, apenas chorar. Eles estão no topo da cadeia alimentar jurídica.

        • ninguém

          Chacotas e piadas expressam o bom-humor das pessoas ao perceberem que não têm como resolver elas mesmas os problemas brasileiros. E isso é um fato inafastável. Quer resolver o que lhe incomoda? Vote com consciência! Se, ao votar, você não o faz com responsabilidade, como esperar que o eleito indolentemente por sua participação ou pelo seu “protesto” (votando branco ou nulo) seja alguém responsável por você?

      • Claudiney José

        Sim, é válido rir de situações assim. O problema é ficar apanas nisso. Principalmente em casos como este em que, sem uma mobilização nossa, nada pode ser feito.

        • ninguém

          Mobilização legítima, mesmo, é no dia das eleições em outubro.
          Responsabilidade não é só saber votar, mas entender que as coisas não mudam para melhor apenas se manifestando nas ruas. Assim, aqueles que anulam votos ou deixam-no em branco não podem, mais tarde, resolver mudar as coisas à força.

  • Fábio

    Quando é a compulsória do Gilmar? Haja paciência de aguentarmos ele até lá!

    • Margarete Cornelia de Sousa

      A compulsória do Senhorrr Gilmar Mendes será aos 75 anos de idade. No governo de Dilma foi aprovada a lei da bengalinha. Aposentadoria compulsoria aos 75 e não mais aos 70 anos.

  • luciano damiao

    Maldito Gilmar Mendes Boca de Caçapa FDP…