TSE autoriza mudança de nome do PTN para “Podemos”

Câmara dos Deputados

Presidente nacional em exercício do Podemos, Renata Abreu anunciou decisão do TSE em plenário: “Juntos podemos mudar o Brasil”

Em sessão administrativa realizada nesta terça-feira (16), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a autorização de mudança de nome do Partido Trabalhista Nacional (PTN) para “Podemos”. A matéria (Petição 52/2017) foi aprovada por unanimidade depois de relatório favorável apresentado pelo ministro Admar Gonzaga.

Anunciada a decisão do TSE, a presidente nacional em exercício da legenda, deputada federal Renata Abreu (SP), foi ao microfone do plenário da Câmara, que vota medidas provisórias nesta terça-feira (16), para comunicar a permissão de alteração de nomenclatura.

“Juntos podemos mudar o Brasil”, festejou a parlamentar, que aproveitou para convidar os pares para conhecer a legenda.

O PTN tem registro eleitoral no TSE desde 2 de outubro de 1997. Segundo informações da assessoria de comunicação do tribunal, agora é o Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB) que solicita a troca de nome, para “Avante”. O PTdoB foi formalizado na corte eleitoral em 11 de outubro de 1994, e atualmente tem como presidente nacional o também deputado federal Luis Henrique de Oliveira Resende (MG), cujo nome parlamentar é Luis Tibé.

Em notícia veiculada no site do jornal O Estado de S.Paulo (14), a Coluna do Estadão informou no último domingo que o senador Alvaro Dias (PV-PR) flerta com o Podemos. Segundo a nota, o partido se apresenta como alternativa “a la Macron”, referência ao partido de centro que elegeu, no último dia 7, o atual presidente da França, Emmanuel Macron.

“O senador Álvaro Dias (PV) já participa das reuniões do Podemos (ex-PTN). O partido tenta se estabelecer como uma nova alternativa no país ‘a la Macron’”, diz a coluna do Estadão.

História

O PTN é um dos mais antigos partidos do país. Sua primeira fundação, 2 de maio de 1945, remonta ao contexto partidário da Nova República, com os dissidentes do PTB.

Em 72 anos de história (embora só registrado no TSE em 1997), conseguiu eleger um único presidente da República, Jânio Quadros, em 1960. A legenda foi extinta no regime militar (1964-1985) por meio do Ato Institucional nº 2, decreto de 27 de outubro de 1965.

Mais sobre Justiça Eleitoral


Continuar lendo

Publicidade Publicidade