Colunistas

Sabores picantes estão em alta para 2018

"Se forem preparadas com acompanhamento de nutricionistas, podem conter todos os nutrientes necessários, uma refeição completa"

Comidas saudáveis, veganas e cozimento a vapor são algumas das tendências da gastronomia para o próximo ano. Há também outras apostas: receitas picantes e cozimento a vapor. Nada disso é novo, pois a alimentação com saúde está cada vez mais sedimentada em nossos hábitos culinários.

No final de 2016, a coluna adiantou os costumes da alimentação que ditariam nossos passos neste ano: “As tendências da gastronomia em 2017”, de 29 dezembro.  A regra geral apontava na mesma direção: um consumo mais consciente e focado, combate ao desperdício e atenção à saúde e à sustentabilidade.

Estavam citados também o aumento de consumo de carnes vegetais (grão-de-bico, milho, leguminosas e cogumelos) e maior procura pela sardinha, rica em ômega-3, em proteína e com preço convidativo. Mostramos que o Pinterest havia realizado evento em Nova York para jornalistas e influenciadores para informar que os sabores mais procurados seriam abacaxi, coco, açafrão e cúrcuma.

Em 2018, estarão na moda os bowls saudáveis, refeições montadas na tigela. Se forem preparadas com acompanhamento de nutricionistas, podem conter todos os nutrientes necessários, uma refeição completa.

Os drinques autorais já são cultuados, e devem continuar no olimpo gastronômico de descolados e modernos. Bebidas e coquetéis a base de Gin são sucesso garantido. Em São Paulo, há até um bar especializado em drinks com o destilado, o G&T, primeiro bar especializado em Gin Tônica.

Reprodução

"Há também outras apostas: receitas picantes"

No Rio, até o dia 26 de novembro acontece o festival para consagrar o Gin, novo queridinho da coquetelaria no Brasil. O rótulo tema do 1o Circuito Carioca do Gim é sabor de verão carioca e bebidinhas autorais podem ser testadas em 23 bares, botequins e restaurantes de diversos bairros. O Gin é uma bebida destilada a base de ervas e misturada ao zimbro. Existe desde o século XVII, e teria surgido através de uma receita para ser vendida como um produto medicinal.

Em 2018 vamos ter também muitas bebidas artesanais, snacks saudáveis e sabores picantes e apimentados. Junto com chips de frutas desidratadas, caponatas de legumes e tortas integrais, as pessoas vão também abusar de pimentas variadas, como a biquinho, pimenta-do-reino, malagueta, dedo-de-moça e tabasco. Mas o tempero pode ser reforçado ainda com o gengibre, raiz forte, açafrão e páprica.

Os antenados nas grandes tendências da gastronomia revelam que também teremos a volta dos carboidratos, mas com inovações nas massas e pães. Coquetéis sem álcool (sober scene) devem desfilar em bandejas de festas, junto com as bebidas artesanais (craft spirits).

Há também outros itens com viés de alta, como a maturação de carnes, agora com a técnica aplicada para frangos, peixes e manteiga. Na gastronomia funcional, vem aí o “nootropics”, um tipo de comida que promete tornar as pessoas mais inteligentes, ou aprimorar funções cerebrais.

Sabe o que mais? Comida imaginária! Sim, isso mesmo: “faux food”, quando parece uma coisa mas é outra.  São imitações criativas de carnes que confundem nossos sentidos.

Vem muita novidade por aí!

<< Do mesmo autor: Brasília ganha novos endereços culinários

Continuar lendo

Sobre o autor

Miriam Moura

Miriam Moura

Miriam Moura é jornalista, com larga experiência na cobertura política em Brasília. Trabalhou em jornais como O Globo, O Estado de S. Paulo e foi assessora de Comunicação em tribunais superiores, como STJ, TST e CJF. É diretora de Consultoria e Treinamentos na Oficina da Palavra e In Press Oficina.

Outros textos de Miriam Moura.

Curtir Congresso em Foco no Twitter e Facebook:




Publicidade Publicidade