Pesquisa aponta que população rejeita continuidade do governo Temer

Francisco Alves / Mídia Ninja

De acordo com Datafolha, renúncia de Temer é preferida por 76% dos entrevistados. Caso o peemedebista não deixe o cargo, novo processo de impeachment foi a opção escolhida por 81% dos que responderam a pesquisa

 

A pesquisa realizada pelo Datafolha, além de revelar a menor popularidade de um presidente nos últimos 28 anos, também indica que a população não quer mais Temer no cargo. De acordo com 65% dos entrevistados, o melhor para o País seria a saída do peemedebista. A permanência de Temer até o fim de 2018 é opção de 30% dos entrevistados pelo Datafolha.

Para 76% dos entrevistados, seria melhor se o peemedebista renunciasse ao mandato, enquanto 20% dos que responderam rejeitam essa possibilidade. Os 4% restantes não souberam responder.

Perguntados se, caso Temer não renuncie, a Câmara dos Deputados deveria abrir um novo processo de impeachment, 81% dos entrevistados disseram concordar. Hipótese é rejeitada por 15% dos que responderam.

De acordo com a Constituição, o impedimento de Temer resultaria em eleições indiretas, com um novo presidente escolhido pelo Congresso. O Datafolha também considerou esse cenário, que conta com o apoio de apenas 12% dos entrevistados. Uma alteração na Constituição, que estabeleceria eleições diretas para escolher o novo chefe do Executivo nacional, é preferida por 83%.

Desconfiança

O Datafolha também mediu a desconfiança na Presidência da República (65%), no Congresso (65%) e nos partidos políticos (69%). Os resultados apontam um salto na desconfiança em relação a Temer. Em abril, última vez que a pesquisa foi realizada, a desconfiança na Presidência era de 58%, aumento de 7 pontos percentuais.

Leia mais: Temer tem o menor índice de aprovação dos últimos 28 anos, diz Datafolha

Aliados apelam ao “caos econômico” para salvar Temer

Continuar lendo

Publicidade Publicidade