Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Capa da nova edição da revista, disponível para assinantes nas versões impressa e digital

Faz quase dez anos que estamos por aqui. A princípio, somente no site. A partir de novembro de 2011, produzindo também uma revista impressa que começou a circular semestralmente e agora tem periodicidade bimestral.

Desde aquele 12 de fevereiro de 2004 em que fomos ao ar pela primeira vez, publicamos milhares de páginas. Com reportagens especiais, levantamentos exclusivos, notícias em tempo real e artigos de opinião, no último caso com obsessiva pluralidade.

Tiramos de baixo do tapete alguns dos segredos mais bem guardados da república. Nossa lista de ‘furos’ jornalísticos é imensa, mas três deles se destacam pela repercussão que causaram. Um deles foi a publicação da primeira relação de parlamentares federais acusados criminalmente a sair na mídia brasileira. Botamos essa lista na rua em março de 2004, nas primeiras semanas de funcionamento do site. Foi a partir dali que se deu início ao debate nacional sobre os chamados “ficha suja”, gênese da mobilização popular que resultou na Lei da Ficha Limpa.

Em 2009, metemos a mão no vespeiro dos gastos irregulares feitos pela Câmara e pelo Senado com passagens aéreas. O país descobriu que pagava uma infinidade de viagens turísticas – muitas delas, internacionais – a centenas de parlamentares, ex-parlamentares e uma numerosa legião de agregados, que incluíam de parentes, amigos e parceiros comerciais. A repercussão do caso levou o Congresso a mudar as regras de transporte aéreo, poupando o contribuinte de despesas anuais superiores a R$ 25 milhões.

Mais recentemente, desnudamos o caso dos supersalários, isto é, do privilegiado grupo de funcionários públicos que recebem acima do teto salarial determinado pela Constituição Federal. A regalia, suspensa apenas no último mês de outubro, consumia perto de R$ 100 milhões/ano somente na Câmara dos Deputados e no Senado.

O trabalho de todos esses anos foi reconhecido por prêmios jornalísticos, por uma audiência influente (somos um dos veículos mais acessados no grupo dos principais formadores de opinião e tomadores de decisões do Brasil) e numericamente expressiva. Nos últimos 12 meses, mais de 4 milhões de pessoas navegaram em nossas páginas. E a revista repete a trajetória de prestígio do site, acumulando com apenas oito edições impressas dezenas de citações em alguns dos principais órgãos de imprensa estrangeiros.

Arcar com os custos dessa operação sempre foi a parte mais complicada da história. As dificuldades aumentaram durante o governo Dilma, que abalou de duas formas nossas receitas, dependentes da publicidade veiculada pelo site e pela revista. De um lado, o fraco desempenho da economia nos três últimos anos reduziu os investimentos publicitários das empresas privadas, o que afetou significativamente o nosso faturamento. Do outro, temos recebido do governo federal – principal anunciante do país, com orçamento superior a R$ 2 bilhões neste ano – tratamento claramente incompatível com a força e credibilidade de nossos veículos.

Por isso dirigimos a você o apelo para que nos ajude a ampliar as receitas que podem nos tornar menos dependentes dos recursos de publicidade. Basta assinar a Revista Congresso em Foco.

Com reportagens inéditas e cuidadosamente apuradas, o oitavo número traz um cardápio que compreende, entre muitos outros assuntos, desde imperdível entrevista com o ator José de Abreu até um chocante levantamento sobre o grande número de brasileiros que estão jurados de morte.

Contribua para financiar o jornalismo do Congresso em Foco. Mais do que nunca, ele precisa da sua assinatura!

Entre aqui para assinar a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Publicidade Publicidade