Ana Amélia e Tasso no Senado e Molon na Câmara são os grandes vencedores do júri do Prêmio Congresso em Foco

Escolhidos pelo júri foram os últimos a serem conhecidos na cerimônia de premiação: Ana Amélia e Tasso empataram na primeira colocação no Senado, e Alessandro Molon foi apontado como o melhor deputado

 

Ela vem do Sul e exerce seu primeiro mandato político, conquistado após uma longa e bem-sucedida trajetória no jornalismo. Ele nasceu no Nordeste em uma família de grande tradição empresarial, foi governador pela primeira vez aos 38 anos e preside interinamente um dos maiores partidos do país. Diferenças à parte, Ana Amélia (PP-RS), de 71 anos, e Tasso Jereissati (PSDB-CE), de 68, são os primeiros senadores a serem escolhidos como os melhores do Senado por um júri especializado no Prêmio Congresso em Foco. Os dois empataram na primeira colocação.

Professor de Direito da PUC do Rio de Janeiro, ele assumiu o papel de um dos deputados mais combativos na atual legislatura. Aos 46 anos, o representante do Rio é premiado pela sexta vez. Alessandro Molon (Rede) é, na avaliação dos jurados do prêmio, o melhor deputado de 2017. Novidade desta décima e histórica edição, a escolha pelo júri foi o momento mais aguardado da premiação. Os vencedores foram anunciados no encerramento da festa, nesta quinta-feira (19), em Brasília. Tasso não compareceu, alegando compromisso empresarial em São Paulo.

A senadora Ana Amélia, em seu discurso, ressaltou a honra em receber a premiação, destacou a crise política e defendeu a democracia. “Nessa hora de crise, [o prêmio Congresso em Foco] serve como encorajamento a todos nós. Confesso que muitas vezes tenho vontade de desistir. Mas penso que com a crise que estamos vivendo, a covardia não seve a nenhum político. [...] A pior democracia ainda é melhor que a melhor das ditaduras”.

Além dos escolhidos pelo júri, também foram premiados os mais votados na consulta popular na internet e entre jornalistas que cobrem o Congresso.

Molon, Ana Amélia e Tasso (saiba mais sobre eles ao final do texto) não foram os únicos destacados pelo júri. Os senadores Paulo Paim (PT-RS), Raimundo Lira (PMDB-PB) e Simone Tebet (PMDB-MS) também foram classificados pelos jurados entre os melhores do Senado. Na Câmara, outros nove nomes foram lembrados como os melhores de 2017: Alice Portugal (PCdoB-BA), André Figueiredo (PDT-CE), Chico Alencar (Psol-RJ), Lincoln Portela (PRB-MG), Luiza Erundina (Psol-SP), Mendes Thame (PV-SP), Miro Teixeira (Rede-RJ), Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) e Rubens Bueno (PPS-PR). No ranking do júri, com exceção dos que foram alçados ao primeiro lugar, não houve distinção de ordem de classificação para os demais.

Mais cedo também foram premiados os parlamentares que, no entendimento do júri mais se destacaram nas categorias especiais: combate à corrupção e ao crime organizado; defesa da agropecuária e da seguridade social.

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) e o senador Magno Malta (PR-ES) foram os grandes vencedores na consulta popular, na Câmara e no Senado. Já Chico Alencar (Psol-RJ) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foram reconhecidos como o melhor deputado e o melhor senador por jornalistas que cobrem o Congresso.

Responsável pelo novo filtro de escolha dos melhores parlamentares, o júri foi formado por cidadãos que, por dever profissional ou de modo voluntário, acompanham regularmente as atividades do Congresso Nacional, gozam de boa reputação, reúnem as necessárias qualificações intelectuais, não estão trabalham em gabinetes parlamentares nem mantêm vínculos empregatícios com partidos políticos, conforme determina o regulamento.

O júri

Participaram como jurados o advogado e consultor empresarial Guilherme Cunha; a auditora de controle externo e ativista de movimentos sociais Lucieni Pereira da Silva; o analista político Antônio Augusto de Queiroz, que acompanha as atividades do Congresso para o movimento sindical; o cientista político e professor da Universidade de Brasília Ricardo Caldas; e o jornalista Sylvio Costa, fundador do Congresso em Foco.

Conheça o perfil de cada jurado

Por força do regulamento, o júri examinou critérios como a assiduidade em sessões deliberativas, a participação nos debates do Parlamento, o desempenho na apresentação de propostas legislativas, a capacidade de articulação política e os compromissos contra o combate à corrupção e o desperdício de recursos públicos e na defesa da democracia e do desenvolvimento sustentável.

Por que premiar

Um dos filtros do Prêmio Congresso em Foco 2017, a consulta popular na internet para a escolha dos melhores deputados e senadores do ano teve 1.034.683 votos validados, distribuídos por 130.113 pessoas, entre 1º e 30 de setembro. Já entre os jornalistas foram ouvidos 73 profissionais de 45 veículos de comunicação.

Criado para valorizar a atividade política e o papel do Legislativo no que eles têm de mais nobre e útil à sociedade, o prêmio combate a imagem de que todos os políticos são iguais. Também procura destacar a necessidade de valorizar os bons exemplos para melhorar a qualidade de um Parlamento tão pródigo em produzir vexames.

“Precisamos reagir contra a desqualificação da política e dos políticos, mesmo correndo o risco de premiar hoje políticos que no futuro podem se revelar piores do que imaginamos”, afirma Sylvio Costa. “Porque pior mesmo é o ceticismo que nos oprime e nos imobiliza, nos impedindo de perceber a diferença entre pessoas dedicadas e competentes e bandidos que andam com o broche de parlamentar na lapela”, completa ele.

Saiba mais sobre Ana Amélia, Tasso Jereissati e Alessandro Molon, os grandes vencedores do júri:

MELHORES SENADORES

Ana Amélia (PP-RS)

Jornalista especializada em economia, ficou conhecida por seu trabalho no grupo RBS, onde atuou por três décadas, entre Brasília e Porto Alegre. Chegou ao Senado em 2010, em sua primeira disputa eleitoral. Uma das lideranças da Frente Parlamentar Agropecuária, atua na defesa do agronegócio e da livre iniciativa. Também tem projetos na área da educação e da saúde. Aos 72 anos, preside a Fundação Milton Campos, instituição de formação política do PP.

Tasso Jereissati (PSDB-CE)

Administrador de empresas, o empresário governou o Ceará por três vezes. Sua trajetória política começou na década de 1970, quando integrou um grupo de jovens empresários contrários à ditadura. Está em seu segundo mandato de senador. Ocupa pela terceira vez, agora interinamente, a presidência do PSDB. É dono do maior patrimônio declarado entre todos os congressistas (R$ 389 milhões, em 2014). Preside a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

MELHOR DEPUTADO

Alessandro Molon (Rede-RJ)

Advogado, mestre em História, é professor de Direito da PUC-RJ. Começou sua militância política quando era professor da rede pública de ensino. Chegou à Câmara em 2011 após dois mandatos de deputado estadual. Teve atuação destacada na campanha pelo fim do voto secreto no Congresso em processos de cassação e na definição do Marco Civil da Internet, do qual foi relator. Empunha, entre outras bandeiras, o combate à corrupção, a ética e a transparência na administração pública. Aos 46 anos, é premiado pela sexta vez. Trocou o PT pela Rede no ano passado.

O Prêmio Congresso em Foco teve o patrocínio e apoio da AmbevAnabbGoverno de Mato GrossoUberAPCFAnffa SindicalSinprofazAnfipAnadefAMBCiclo de GestãoFebrafiteAbrigOAB-DFSindicato dos Jornalistas

<< Veja o regulamento desta décima edição

<< Mais matérias sobre o Prêmio Congresso em Foco

 

Patrocínio:


Apoio:

 

Apoio Institucional:

 

 

Continuar lendo

Publicidade Publicidade