Abraji lamenta atitude de Glenn Greenwald

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) lançou uma nota lamentando a atitude do jornalista Glenn Greenwald de acusar colegas profissão de serem corruptos. O caso aconteceu após os repórteres Juliana Dal Piva e João Paulo Saconi, publicarem no jornal O Globo uma matéria expondo um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que aponta para uma movimentação suspeita na conta do deputado federal David Miranda (Psol-RJ), que é marido de Glenn.

> David Miranda diz que relatório do Coaf é retaliação

No último dia 12, um dia após a divulgação da matéria, o jornalista que é fundador do site The Intercept Brasil, lançou um vídeo em defesa do companheiro.“Eu sei exatamente quem são os corruptos neste caso. Não é David Miranda, são os procuradores do Ministério Público e os repórteres e editores do O Globo, que publicou um artigo lixo”, acusou Glenn.

Segundo nota da Abraji, a jornalista Juliana Dal Piva passou a receber insultos de internautas após a publicação do vídeo. A nota ainda relembra que Glenn é vítima de ataques semelhantes a esse que ele mesmo fez.

Veja a nota na íntegra:

Jornalista recebe ofensas e comentários agressivos após divulgação de vídeo por colega

 

Após o jornalista Glenn Greenwald (The Intercept) divulgar em suas redes sociais um vídeo qualificando os repórteres Juliana Dal Piva e João Paulo Saconi (O Globo) como “corruptos”, a jornalista passou a receber ofensas e comentários agressivos em sua conta no Twitter. O comentário foi uma reação à reportagem “Coaf aponta ‘movimentação atípica’ de R$ 2,5 milhões de David Miranda”, publicada pelo jornal em 11.set.2019.

Segundo a publicação, o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) encaminhou ao Ministério Público do Rio de Janeiro um relatório sobre movimentação de dinheiro em contas do deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), marido de Greenwald. A reportagem informa que a ação ocorreu dois dias após o Intercept Brasil iniciar a divulgação de mensagens trocadas pela força-tarefa da Lava Jato.

Greenwald publicou o vídeo na tarde do dia seguinte, em defesa de Miranda. Ao final do vídeo, afirma: “(...) eu sei exatamente quem são os corruptos neste caso. Não é David Miranda, são os procuradores do Ministério Público e os repórteres e editores do O Globo, que publicou um artigo lixo”. Até a manhã desta sexta-feira (13.set.2019), o vídeo contava com 1,9 mil retuítes e mais de 56 mil visualizações no YouTube.

A partir da divulgação do vídeo, Juliana Dal Piva passou a receber citações no Twitter acusando-a de receber propina de procuradores e de tentativa de intimidação para parar a Vaza Jato (nome pelo qual ficou conhecida a divulgação das mensagens da Lava Jato).

A Abraji manifesta solidariedade a Dal Piva e a Saconi. Nenhum jornalista deve ser acusado sem provas por realizar seu ofício de divulgar informações. Lamentamos que um jornalista lance mão de expedientes dos quais ele próprio é vítima frequente - acusações e descredibilização - contra outros colegas, ultrapassando o limite da crítica ao trabalho feito.

Diretoria da Abraji, 13 de setembro de 2019.

> Oposição pede CPI da Vaza Jato

> CPI da Lava Toga recupera assinaturas necessárias para ser apresentada

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!