Além de oxigênio, Venezuela oferece 107 médicos ao Amazonas

Além de proceder com a doação governamental de milhares de litros de oxigênio para combater o desabastecimento crítico em Manaus, a Venezuela colocou à disposição do governador de Manaus, Wilson Lima (PSC), um grupamento de 107 médicos residentes formados no país. O objetivo é ampliar o atendimento à cidade, que atualmente sofre um colapso no sistema de saúde por conta de uma segunda onda da pandemia de covid-19.

A informação foi dada pelo chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, em seu Twitter.

O chanceler venezuelano – que já havia se comprometido a enviar oxigênio para a cidade na quinta-feira – destacou que 107 médicos brasileiros e venezuelanos se apresentaram no consulado do Brasil em Boa Vista, na vizinha Roraima.

Na carta endereçada ao governador Wilson Lima, o representante de Nicolás Maduro aponta que a brigada, que leva o nome do libertador do país Simón Bolívar (1783-1830), está a postos para colaborar. "O conhecimento da medicina é universal onde o foco principal sempre será salvar e restabelecer a vida humana de modo direto [sic] ou indiretamente", escreveu o chanceler.

Os médicos teriam todos formação em Caracas, pela Escuela Latinoamericana de Medicina. Até o momento, nem o governador Wilson Lima nem o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), se manifestaram sobre a oferta.


> Lewandowski manda governo federal agir “imediatamente” para sanar colapso em Manaus
> Randolfe Rodrigues apresenta CPI para investigar crise do oxigênio no AM

Continuar lendo