Crianças, tapem os olhos! Vai começar o resumo político da semana!

A semana começou literalmente penosa: em São Paulo, um papagaio de realejo mandou Haddad tomar cuidado com as más companhias. Fazendo jus à fama, o louro apenas repetiu o que todo mundo vem dizendo desde a fatídica foto, que não tinha bem um papagaio de pirata, mas um urubu. Pirata não. Legítimo, tipo exportação! O problema é que o bichão não se importa. Nem se exporta, raios!

Ainda na campanha, à direita de quem entra, Serra, num rasgo de simpatia, até jogou sinuca, e reclamou da baixaria dos adversários (em tempo: ele não se referia à tal foto do oponente). Só faltou implorar por uma campanha sem bolinhas de papel e aborto.

Já no Rio, mais uma figura famosa quer ser vereadora. É a cantora Rosanah, lembra dela, tão famosa nos anos 80 com o célebre refrão “Como uma deusa, você me mantém...”? Para quem não sabe, Rosanah é comunista do PCdoB. Talvez promova uma leve adaptação no hit, lançando o “Comuna deusa...”.

Ai, essas campanhas! “Tão perto das lendas, tão longe do fim”, hein, Rosanah?

Lenda mesmo virou o Demóstenes. Não adiantou pedir nem implorar pela clemência e compaixão que não costumava (nem devia) ter com outros pecadores. Caiu, e, de imediato, quis retomar a vida de procurador de Justiça. Se sem procurar, já encontrou, imagine procurando? Vai se dar bem. E, não duvido, “vai se dar bens”.

A propósito, na quinta veio a notícia de que teve vereador paulistano dobrando patrimônio nesta legislatura. Para justificar parte da turbinada financeira, disse que ganhou na loteria federal... três vezes!!! E o Demóstenes cassado, por mentir aos companheiros, coitadinho!

Claro que Cachoeira desaguaria também aqui, nesta coluna, na ilustre condição de suplente da ex-mulher do suplente! Disse que o novo senador deve a carreira política a ele. E o bicheiro? Será que deve a carreira amorosa ao parlamentar? Quanto troca-troca em tão poucas linhas, não?

A semana teve ainda FHC recebendo prêmio nos States, e dizendo que o inglês é a sua quarta língua. Fiquei, cá com meus botões, tentando imaginar quais seriam as outras. Deve ser por isso que nunca entendi bem o que ele diz.

A cereja do bolo semanal foi o prefeito de Palmas, pego em calças curtas num encontro com... Cachoeira (ele de novo). Vai, prefeito! Brilha na explicação: “Tive a infelicidade de ter sido filmado”.

Serra tem toda razão: baixaria, não! E se dizem por aí que uma grande nação não se mede pelo PIB, mas pelo que esse país faz pelas crianças, deixo o meu alerta: crianças, tapem bem os olhos e os ouvidos!

O sistema é bruto. O Produto Interno e a estagnação, também! Menos para o tal vereador paulistano.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!