A humanidade trava uma imensa e silenciosa luta contra o poder da burocracia

 

Por incrível que pareça, chegamos a 2017, em plenos portais do século XXI, sem que Juana tenha conseguido sair do estado de "zumbi" – isto numa era dita tecnológica, na qual já prepara-se a humanidade para ir a Marte. Foi quando, desesperada, decidiu ir aos tribunais.

Enquanto isso, do outro lado do planeta, a China começa a reagir à sanha dos burocratas, transferindo o ônus da produção de informações solicitadas a particulares pela administração pública à própria administração pública!

Este exemplo, segue-o Portugal. Não faz muito tempo, decidiu-se que a burocracia estatal não pode solicitar a particulares informações que o Estado como um todo já detenha – eis aí uma notável integração entre os diversos órgãos da administração pública.

Leia mais

Fiquei a lembrar deste quadro há alguns dias, quando fui convocado a apresentar, em uma repartição pública, um certo "atestado de residência", definido este como uma conta qualquer – de telefone, energia, água, ou seja lá do que for – em meu nome. Cheguei à conclusão de que a administração pública precisa ser informada por empresas sobre o local de residência de um cidadão contribuinte e eleitor registrado!

É assim, entre idas e vindas, que a humanidade trava uma imensa e silenciosa luta contra o poder da burocracia, um poder de vida e de morte.

Do mesmo autor:

<<  O pecado mortal – a inviolabilidade do lar e a pobreza como pior dos crimes

<< Os apresentados – execração pública de suspeitos hoje e na medieval Rothenburg

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!