Erro do governo faz acordo da LDO ser descumprido, diz Alcolumbre

A sessão do Congresso Nacional foi tumultuada por uma quebra de acordo do Senado Federal, que, segundo o presidente do Congresso, David Alcolumbre, aconteceu devido a um atraso dos líderes do governo. Após a Câmara derrubar todos os vetos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), como tinha sido alinhavado, já os senadores derrubaram apenas três dispositivos, mantendo 199, contrariando o acordo fechado.

> Deputados cobram fatura da reforma da Previdência e ameaçam Bolsonaro

Os deputados denunciaram no Plenário a quebra deste trato e prometeram entrar em obstrução caso a sessão não fosse encerrada. Alcolumbre tentou firmar um novo acordo conjunto, o que também não foi possível.

Segundo lideranças que falaram com a reportagem, a iniciativa do acordo partiu do próprio governo. O trato era derrubar todos os vetos da LDO e, em contra partida, manter os vetos que tivessem destaques por parte do governo. Os destaques seriam o código a ser seguido para que o veto não fosse derrubado.

Segundo o presidente David Alcolumbre, a cédula que indicaria o acordo deveria ter chegado às 10h30 para os parlamentares. Mas o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), atrasou e só entregou a cédula às 11h30, quando as votações já estavam acontecendo.

O fato gerou indignação entre os líderes da casa. "Havia um acordo e quando tem um acordo a gente cumpre, se não cumpre não tem como seguir adiante. Nesta Casa a gente cumpre com nossa palavra", desabafou uma liderança que pediu para não ser identificada.

Para desatar o nó, o governo prometeu enviar um projeto de lei que, na prática, irá derrubar todos os vetos que ele mesmo impôs. Este projeto deve chegar antes da próxima sessão do Congresso que está marcada para a terça-feira (03).

> Alcolumbre tenta segurar votação da prisão em segunda instância

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!