Pacheco: impeachment de Bolsonaro pode abalar estruturas da República

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), declarou nesta sexta-feira (5) que é contra a instalação de um processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Apesar disso, o mineiro ressaltou que a abertura do processo não cabe a ele, mas sim ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

"Impeachment é algo muito sério, grave, abala as estruturas da República, já tivemos dois episódios recentes de impeachment na história do Brasil que foram muito tristes", disse ao comentar sobre os afastamentos de Fernando Collor e Dilma Rousseff da Presidência. Em 2016, quando Dilma foi afastada, Pacheco era deputado federal e votou pela saída da petista.

"Neste momento que estamos no ápice de uma pandemia, com índice de desemprego grande, com necessidade de fazer crescer o Brasil e a economia do Brasil, com necessidade de assistência emergencial às pessoas e buscando de todas as formas meios e recursos para que isso aconteça, precisando entregar vacina para as pessoas no Brasil, eu não me permito falar a respeito de impeachment nesse momento. Até porque isso é uma atribuição da Câmara dos Deputados", disse o senador durante entrevista coletiva em Belo Horizonte (MG).

Pacheco também falou que vai analisar de maneira célere sobre a instalação ou não da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de apurar violações de direitos fundamentais pelo governo federal na pandemia de covid-19. "Esse pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito foi encaminhado na data de ontem (4)  pelo senador Randolfe Rodrigues, já com 31 assinaturas, ou seja, além do mínimo legal exigido."

O mineiro comentou sobre o convite para que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, vá ao Senado prestar esclarecimentos sobre a falta de gestão durante a pandemia. O senador do DEM afirmou que um dos questionamentos que serão feitos a Pazuello será sobre a crise no Amazonas. De acordo com Pacheco, a visita do ministro servirá para avaliar ou não a necessidade de uma CPI.

"É uma análise que nós faremos com a ligeireza que se espera de uma avaliação desse tipo para identificar e enunciar o cumprimento de todos os requisitos para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito ou não".

Pacheco disse ainda que a Comissão Parlamentar de Inquérito "tem índole constitucional" e que defendeu as prerrogativas dos senadores e senadoras ao assumir o Senado Federal. "Uma dessas é requerer a instalação das comissões parlamentares de inquérito que achem devidas e obviamente que eu vou fazer a análise disso e à luz do que determina o regimento e a Constituição."

> Comissão Mista de Orçamento deve ser instalada na próxima semana

Continuar lendo