Maia teme que sucessão na Câmara prejudique a reforma tributária

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ter receio de que a campanha para a presidência da Casa, prevista para fevereiro do ano que vem, prejudique o andamento da reforma tributária.

>Ex-chanceleres defendem que Bolsonaro mude política externa por Biden

“Tenho medo que a reforma tributária não consiga avançar, porque está muito carimbada como minha. Isso é uma grande besteira. No final, o grande beneficiado são o país e o governo”, declarou o parlamentar durante palestra feita nesta sexta-feira (6) na Conferência Macro Vision, promovida pelo banco Itaú.

O presidente da Câmara disse que, caso haja acordo, há chances de a reforma ser votada ainda em dezembro deste ano. Segundo ele, o parecer do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) está sendo concluído. Maia pontuou ainda que a reforma tributária está pronta. "Pena que o governo ainda não se deu conta, porque seria o grande beneficiado”, lamentou. Ele defendeu que a reforma deve "reduzir custos" e "melhorar o ambiente de negócios" por aumentar o cenário de segurança jurídica para as empresas.

Além disso, o deputado apontou que o seu sucessor deverá defender uma agenda liberal na economia. Para ele, nenhum candidato que não esteja em concordância com a pauta saíra vitorioso no Plenário. Ele pediu também que os pré-candidatos à mesa tenham maturidade de compreender o momento de crise econômica enfrentado pelo país.

“Se o pré-candidato não tem maturidade de entender que este momento de crise é mais importante do que a sucessão da Câmara, os deputados vão começar a olhar para o candidato com mais dificuldade por entender que ele considera seu interesse pessoal ser mais importante do que o da sociedade", afirmou.

Com informações da Agência Câmara

>Veja lista com mais de 10 mil candidatos que receberam auxílio emergencial

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!