Nise Yamaguchi nega mudança de bula da cloroquina. Veja documento

Em depoimento à CPI da Covid, nesta terça (1º), a médica Nise Yamaguchi negou as acusações de que teria sido a autora de uma minuta de mudanças na bula da cloroquina para que o medicamento pudesse ser receitado no país no tratamento da covid-19.

A oncologista afirmou que, em abril do ano passado, participou de reunião no Palácio do Planalto na qual foi debatido o uso de medicamentos ainda sem comprovação de eficácia contra o novo coronavírus. Porém, Nise reiterou que não defendeu nem tratou de nenhuma mudança na bula da cloroquina.

Aos senadores, a médica apresentou cópias de uma troca de mensagens por WhatsApp entre ela e o médico Luciano Dias Azevedo, também defensor do tratamento precoce.

O documento com as mensagens foi registrado em cartório por Nise e, segundo ela, mostra minuta de resolução que estaria em discussão pelo governo federal para permitir a disponibilização da rede pública de saúde de medicamentos como a cloroquina.

Veja na íntegra:

A informação de que a médica estava na reunião para mudança da bula da cloroquina foi dada pelos ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e pelo diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, em depoimento à CPI .

Na minuta, estão descritos que o tratamento precoce contra a covid-19 deveria ser acordado entre paciente e médico. As dosagens da medicação também estavam disponíveis no documento.   "Era um rascunho de como poderia ser a disponibilização de uma medicação que estava em falta", explicou Nise.

 

Continuar lendo