Bolsonaro deve ser indiciado por charlatanismo e curandeirismo pela CPI

A mesa diretora da CPI da Covid decidiu nesta quarta (11) propor o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro pelos crimes de curandeirismo, charlatanismo, epidemia, publicidade enganosa no enfrentamento à pandemia e outros crimes a serem analisados. 

A comissão ainda prepara um relatório definitivo que deve ser encaminhado ao Ministério Público Federal, órgão que decidirá sobre a abertura ou não dos processos.  

A questão foi discutida durante almoço, onde estavam presentes o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL). O relatório final deve ser apresentado por Calheiros, mas segue sem data oficial. 

A decisão se dá no dia do depoimento do representante da Vitamedic, Jailton Batista. Segundo Randolfe, o depoimento ascendeu a mais elementos que provam a atuação de medicamentos sem eficácia pelo presidente Bolsonaro, "colocando em risco a saúde da população brasileira”.

Os senadores reafirmam que a gestão do Governo Federal e do chefe do Executivo foram fatores ligados diretamente ao alto número de óbitos no país.

A mesa diretora também afirmou que o relatório final deverá responsabilizar, além do presidente, a União pelas mortes ocorridas em razão da pandemia, e indicar que órgãos de Estado devem ajudar famílias a obterem indenizações.

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo