Lava Jato mira filho de Lula e sítio de Atibaia

A Polícia Federal deflagrou mais uma fase da Operação Lava Jato, em Curitiba, na manhã desta terça-feira (10). Segundo o Ministério Público do Paraná, são investigados repasses suspeitos de mais de R$ 132 milhões entre as empresas do grupo Oi/Telemar e a companhia Gamecorp/Gol, que tem como um dos proprietários o filho do ex-presidente Lula, Fábio Luis Lula da Silva. Ainda de acordo com o órgão, parte desses recursos pode ter contribuído com a compra do sítio de Atibaia.

> Brasileiros confiam mais em Lula que em Bolsonaro, diz Datafolha

“Evidências apontam que parte dos recursos foi utilizada para a aquisição do sítio de Atibaia no interesse do ex-Presidente Lula”, afirmou o Ministério Público em nota divulgada logo após a deflagração da 69ª fase da Lava Jato, que acontece 15 dias depois de o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirmar a condenação de Lula no caso do sítio de Atibaia. “As apurações indicam que tais pagamentos, realizados entre 2004 e 2016, e superiores a R$ 132 milhões, foram realizados sem justificativa econômica plausível, ao tempo em que o grupo Oi/Telemar foi beneficiado por diversos atos praticados pelo Governo Federal”, continua o MP.

Segundo o Ministério Público, provas documentais como contratos, notas fiscais e dados extraídos a partir da quebra dos sigilos bancário e fiscal dos investigados indicam que “as empresas do grupo Oi/Telemar investiram e contrataram o grupo Gamecorp/Gol sem a cotação de preços com outros fornecedores, fizeram pagamentos acima dos valores contratados e praticados no mercado, assim como realizaram pagamentos por serviços não executados”.

“Paralelamente aos repasses de milhões de reais para o grupo Gamecorp/Gol, o grupo Oi/Telemar foi beneficiado pelo Governo Federal com diversas decisões políticas e administrativas no setor de Telecomunicações, a exemplo do Decreto no 6.654/2008, assinado pelo então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, que permitiu a operação de aquisição da Brasil Telecom pelo grupo Oi/Telemar. Mensagens apreendidas no curso das investigações também denotam que o grupo Oi/Telemar foi beneficiado pela nomeação de conselheiro da Anatel”, acrescenta a nota do Ministério Público.

Para aprofundar a investigação dessas denúncias, a Polícia Federal cumpre nesta terça-feira 47 mandados de busca e apreensão expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba. Lula, o seu filho Fábio e o PT ainda não se manifestaram sobre essa nova operação da Lava Jato. No fim do julgamento do TRF-4 que confirmou a condenação de Lula no caso do sítio de Atibaia, contudo, a defesa do ex-presidente falou de perseguição política.

> Sítio de Atibaia: Advogado de Lula fala de “objetivos políticos” de Moro

> Tenha a melhor cobertura do Congresso de graça no seu Whatsapp

 

13ª Vara Federal de CuritibaCuritibaForça-tarefa da Lava JatoLava-JatoLulaPolícia Federal