Mário Frias muda presidência da Funarte; coronel assume o cargo

Luciano Querido, que ocupava o cargo de presidente da Fundação Nacional das Artes (Funarte), foi demitido do cargo. A saída do comandante da fundação, responsável pelo incentivo à difusão das artes no Brasil, foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União.

Querido, que era assessor do vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos) antes de assumir o cargo, dá a vaga a Lamartine Barbosa Holanda, coronel da reserva no Exército Brasileiro, que também consta como presidente da Câmara de Comercialização Brasil-Albânia. Enquanto paraquedista, Lamartine também participou de missões internacionais em nome do Exército Brasileiro.

Esta é a sexta troca de comando na Funarte desde o início do governo Bolsonaro, há 21 meses. Antes de Luciano Querido, o maestro Dante Mantovani assumiu o cargo por duas vezes – em uma gestão marcada por teorias infundadas sobre o rock. A primeira passagem de Mantovani veio após os comandos de Miguel Proença e Stepan Nercessian, nomeado ainda na gestão Michel Temer.

>Bolsonaro transfere Cultura para o Turismo e aumenta poder de ministro denunciado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!