Economia brasileira cresceu menos em 2019 que nos dois anos anteriores

No primeiro ano de gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Produto Interno Bruto Brasileiro cresceu 1,1% e fechou o ano em R$ 7,3 trilhões. A taxa registrada em 2019 é menor que a dos dois anos anteriores, quando o crescimento foi de 1,3%. Em 2016 houve retração de 3,3% e em 2015, de 3,5%. As informações foram divulgadas na manhã desta quarta-feira (4) pelo IBGE.

>“São 15 semanas para mudar o Brasil”, diz Guedes a MBL e Vem pra Rua

“São três anos de resultados positivos, mas o PIB ainda não anulou a queda de 2015 e 2016 e está no mesmo patamar do primeiro trimestre de 2013”, analisa Rebeca Palis, coordenadora das Contas Nacionais do IBGE. “A maior contribuição para o avanço do PIB vem do consumo das famílias, que cresceu 1,8%. Pelo lado da oferta, o destaque foi o setor de serviços, que representa dois terços da economia”.

A divulgação do resultado da economia gerou reações entre congressistas, especialmente o de oposição. A deputada Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, afirmou que o crescimento foi medíocre.

“Economia de 2019 tem resultado medíocre. PIB foi de 1,1%. Será que esses liberais do governo e do Congresso não enxergam que estão destruindo o Brasil?! Para este ano o rumo vai ser o mesmo. Sem investimentos, cortes em programas sociais e precarização do emprego só leva a isso”, afirmou.

Entre integrantes da equipe econômica, as manifestações foram sucintas. Salim Mattar, Secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, foi ao Twitter e registrou o dado sem comentá-lo.

> Ataques de Bolsonaro põem à prova propostas de corte de gastos

 

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!