Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

O que há contra a senadora no Supremo

Responde ao Inquérito 3368 por crimes eleitorais. Durante a corrida eleitoral para o Senado, em 2010, R$ 88 mil foram apreendidos em poder do presidente da Câmara Municipal de Amaturá (AM). Junto com o dinheiro, havia material de campanha de Vanessa. De acordo com o Ministério Público, há indícios de que a verba seria usada para compra de votos. A senadora afirma que o Ministério Público não imputou a autoria de qualquer delito a ela. “O MP recorreu da decisão do juiz eleitoral de enviar o processo ao STF, pois a simples apreensão de material em seu comitê é insuficiente para responsabilizá-la criminalmente”, disse a assessoria.

Leia a íntegra da resposta:

"É um inquérito que começou no TRE/AM e foi enviado ao STF unicamente pela mera citação do nome da senadora nos depoimentos das pessoas envolvidas no fato. O próprio Ministério Público já disse que em nenhum momento imputou a autoria de qualquer delito à senadora, e inclusive recorreu da decisão do juiz eleitoral de enviar o processo ao STF, pois a 'a simples apreensão de material em seu comitê é insuficiente para responsabiliza-la criminalmente'.  No entanto, a decisão foi mantida e o inquérito está atualmente com o ministro Marco Aurélio no STF."

Um terço do Senado responde a acusação criminal

Mais sobre processos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!