Temer: Dilma não termina mandato se popularidade continuar baixa

Declaração foi dada durante evento realizado por empresários em São Paulo, conforme informações do jornal Folha de S. Paulo

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (4) revela que, em palestra realizada com empresários paulistas, o vice-presidente Michel Temer afirmou que Dilma Rousseff não chegará ao final do mandato caso mantenha altos índices de reprovação. Pesquisas recentes apontam que Dilma tem apoio de apenas 7% dos eleitores.

"Hoje, realmente, o índice [de aprovação do governo] é muito baixo. Ninguém vai resistir três anos e meio com esse índice baixo. (...) Se continuar assim, eu vou dizer a você, 7%, 8% de popularidade, de fato, fica difícil", disse o vice-presidente. O encontro foi realizado pela socialite paulista Rosangela Lyra, integrante do movimento "Acorda, Brasil", opositor ao governo.

Ainda no evento, o vice-presidente negou qualquer intenção de assumir a Presidência da República no lugar de Dilma. “Eu jamais seria oportunista, quero deixar muito claro isso. Em momento algum eu agi de maneira oportunista. Muitas vezes dizem: ‘Ah, o Temer quer assumir a Presidência’. Mas eu não movo uma palha para isso”, afirmou Temer.

Além disso, Temer também declarou que “iria feliz para casa" caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determine a cassação de mandato da presidente. Dilma responde na Corte a uma ação por abuso de poder econômico nas eleições do ano passado. “Se o TSE cassar a chapa, acabou. Eu vou para casa feliz da vida, ela vai para casa... não se vai feliz ou não, cada um tem a sua avaliação”, disse o vice-presidente.

 

Confira a reportagem na íntegra

Mais sobre Dilma Rousseff

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!