Psol pede, de novo, investigação sobre elo entre André Vargas e doleiro

Secretaria-geral da Câmara recomendou arquivamento de representação protocolada pelo partido na última quinta, mas suspeita de irregularidades foi reforçada por revelações feitas pela imprensa no final de semana

O Psol protocolou uma nova representação contra o deputado federal André Vargas (PT-PR). O partido pede a abertura de investigação pela corregedoria da Câmara cobrando abertura de investigação sobre o envolvimento do parlamentar com o doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava-Jato, deflagrada pela Polícia Federal (PF) em março último para desbaratar esquema de lavagem de dinheiro.

 

No pedido, o Psol aponta a relação entre o deputado e o doleiro. Cita a utilização por Vargas de avião pertencente a Youssef. Também diz que a corregedoria deve apurar a conduta do parlamentar no Ministério da Saúde para favorecer o laboratório Labogen, do doleiro.

Na última quinta-feira, o Psol havia protocolado na mesa diretora da Câmara pedido de investigação contra Vargas, mas a secretaria-geral da Casa já se manifestou pelo arquivamento da representação porque o partido não teria indicado “provas de autoria e materialidade" de quebra de decoro.

O partido informou que vai entrar com representação no Ministério Público.“Pelo teor das conversas [entre o doleiro e Vargas e interceptadas pela PF], a relação mantida não é a da alegada [pelo deputado] amizade de 20 anos, mas envolvem negociatas e possíveis fraudes em processos administrativos, com a utilização da influência de André Vargas”, consta do novo pedido assinado pelo deputado Ivan Valente, líder do Psol na Câmara.

 

Mais sobre André Vargas

Mais sobre a operação Lava-Jato

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!