PSB diz que momento é de luto e não de decisões sobre candidatura presidencial

Irmão de Eduardo Campos já expôs seu posicionamento e defende que Marina Silva assuma candidatura. PSB diz que no momento está se dedicando apenas às homenagens ao presidenciável

Em caminho diverso do adotado pelo advogado Antônio Campos, o PSB divulgou nota nesta quinta-feira (14) afirmando que está em luto e “cuidando somente das homenagens devidas” ao presidenciável Eduardo Campos, que morreu ontem em um acidente aéreo em Santos (SP).

Irmão de Eduardo, Antônio também soltou uma nota hoje já defendendo a candidatura de Marina Silva pela coligação “Unidos pelo Brasil” (PHS/ PRP/ PPS/ PPL/ PSB/ PSL).

“A direção do PSB tomará, quando julgar oportuno, e ao seu exclusivo critério, as decisões pertinentes à condução do processo político-eleitoral”, consta da nota do partido, que era presidido por Eduardo.

A cúpula do PSB deve discutir oficialmente sobre quem deve substituir Eduardo Campos após o sepultamento do corpo dele, ainda sem data definida.

Marina Silva foi candidata a presidente nas eleições de 2010 pelo PV e ficou em terceiro lugar. Antes de migrar para o PSB, Marina tentou criar uma nova sigla, chamada Rede Sustentabilidade, mas não conseguiu o registro junto à Justiça eleitoral. Por isso, ela se filiou ao PSB, deixando claro não ter abandonado a pretensão em relação à Rede.

 

Mais sobre Eduardo Campos

Mais sobre eleições 2014

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!