Ex-vereador do PT deixa prisão e cumprirá regime domiciliar

A justiça federal de São Paulo concedeu a prisão domiciliar após a defesa do réu alegar que, por ser advogado, Romano tem direito à prisão especial. Ele será monitorado por uma tornozeleira eletrônica e cumprirá regime domiciliar.

O advogado Alexandre Romano, conhecido como “Chambinho”, deixou a carceragem da Polícia Federal em Curitiba neste sábado (17) e irá cumprir regime domiciliar. Ex-vereador pelo PT do município de Americana, em São Paulo, Chambinho será monitorado por uma tornozeleira eletrônica. A justiça federal de São Paulo concedeu a prisão domiciliar após a defesa do réu alegar que, por ser advogado, Romano tem direito à prisão especial.

 

 

Em prisão preventiva desde agosto, quando foi deflagrada a 18ª fase da Operação Lava Jato, Pixuleco 2, o ex-vereador é apontado como suposto operador de propinas em esquema de corrupção envolvendo contratos do Ministério do Planejamento. Durante depoimento em delação premiada, Chambinho faz menção à senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e ao ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, marido de Gleisi.

O inquérito envolvendo a senadora está nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF), que optou por fatiar os autos da operação pelo critério da territorialidade. Assim, os processos envolvendo outros investigados foram encaminhados a Justiça Federal de São Paulo.

 

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo