Petistas do mensalão triplicam o patrimônio

Reportagem do jornal O Globo desta quinta-feira afirma que os deputados José Mentor e Professor Luizinho, ambos do PT de São Paulo julgados por envolvimento no escândalo do mensalão e absolvidos pela Câmara, triplicaram o patrimônio pessoal nos últimos quatro anos, segundo as declarações de bens que entregaram ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) para registrar suas candidaturas à reeleição.

Os dois estão na lista de 40 denunciados pelo Ministério Público Federal na investigação do mensalão. O patrimônio de Mentor subiu de R$ 489,6 mil em 2002, para R$ 1,4 milhão em 2006 e o de Luizinho de R$ 233,4 mil para R$ 797,3 mil.

Na matéria das repórteres Isabel Braga, Soraya Aggege e Mirella D'Elia, o patrimônio do deputado Professor Luizinho aumentou em grande parte porque ele atualizou os valores de mercado de dois imóveis. O apartamento em Santo André, declarado em 2002 por R$ 95 mil, agora aparece com o valor de R$ 250 mil. E uma casa em São Sebastião passou de R$ 75 mil para R$ 220 mil. A Receita não obriga os contribuintes a atualizar o valor de seus bens.

Um dado novo na declaração de Luizinho é um empréstimo feito a Dionísio Sanches Monteiro, de R$ 140 mil. O deputado declara ainda ter um carro Zafira ano 2003, de R$ 38 mil; e R$ 89 mil aplicados em um fundo de renda fixa do Banco do Brasil. Procurado pelo jornal, Luizinho não retornou as ligações.

O patrimônio de José Mentor quase triplicou em quatro anos. Em 2002 ele declarou, entre seus principais bens, duas casas que somam aproximadamente R$ 400 mil e três automóveis. Mentor adquiriu, segundo sua declaração ao TRE, um apartamento de R$ 625 mil em Moema, terrenos, apartamentos em construção, ações da Petrobras, fundos de investimento no Banespa, cotas do escritório de advocacia da qual é sócio e três carros.

Mentor justificou o fato de ter triplicado seu patrimônio às atividades de seu escritório de advocacia em São Paulo. "Está tudo declarado, inclusive com impostos pagos. Em quatro anos, realmente tive um aumento significativo, por causa de meu escritório", disse.

João Paulo melhorou também

O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) também conseguiu uma evolução no patrimônio nos últimos quatro anos, mas bem mais modesta segundo os dados declarados ao TSE. Em 2002, para candidatar-se a deputado federal, ele informou ter R$ 232.812,51 em bens. Este ano, o total subiu para R$ 310.444,80.

Em 2006, Cunha se desfez de um terreno, trocou seus dois carros por um novo e atualizou o valor de sua casa em Osasco de R$ 150 mil para R$ 183 mil. Ele adquiriu ainda outro imóvel em Barueri, declarado por R$ 66,5 mil.

Genoino vendeu carros e ficou só com R$ 130 mil

O ex-presidente do PT José Genoino declarou este ano patrimônio menor do que o de 2002. Naquele ano, a soma de seus bens (uma casa e três carros) totalizava R$ 142 mil. Agora, ele declara ter apenas a casa - cujo valor foi reajustado de R$ 69 mil para R$ 120 mil - e três contas correntes, no total de R$ 130,1 mil.

Continuar lendo