Pão, mortadela, energético e bate-boca marcam debates da comissão do impeachment

Foram 13 horas de discurso e debate, mas também teve espaço para protestos, pão com mortadela, energético e o tradicional bate-boca na comissão especial de impeachment

Nas 13 horas de duração da sessão que começou na sexta-feira (8), a comissão de impeachment reuniu cenas diferentes das tradicionalmente vistas do Congresso Nacional, a começar pelos trabalhos rompendo a madrugada de sexta-feira para sábado (9). Pão com mortadela, pão sem mortadela, bate-boca e energético deram o tom às discussões que terminou com 39 deputados defendendo e 21 criticando o impeachment.

Contrários ao impeachment, manifestantes foram à Câmara oferecer pão com mortadela aos parlamentares. Veja o vídeo. Em meio à polarização política que tomou conta do país nos últimos tempos, convencionou-se relacionar pão com mortadela aos apoiadores do governo e coxinha aos defensores do impeachment. O protesto foi organizado pelo coletivo Intervozes, que defende a democratização da mídia e é contra a saída da presidente Dilma Rousseff do Palácio do Planalto. Deputados do PT, como Benedita da Silva (RJ), entraram na brincadeira e comeram a iguaria servida pelos militantes.

Nem todos os parlamentares aceitaram o pão com mortadela servido pelo durante o protesto, mas ninguém passou fome. O presidente da comissão, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), mandou um funcionário comprar pães, queijo e manteiga. Para acompanhar, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) distribuiu o energético Red Bull aos deputados que compõem a mesa diretora da comissão, como o próprio Rosso e o relator Jovair Arantes (PTB-GO). Outros deputados preferiram sair para comer nos restaurantes próximos à Esplanada dos Ministérios.

Discussão

Não poderia faltar, e não faltou, o tempero mais picante, que tem sido a principal marca da comissão até agora - os bate-bocas entre os participantes da reunião. Os deputados Silvio Costa (PTdoB-PE) e Danilo Forte (PSB-CE) trocaram acusações e xingamentos. Silvio Costa havia encerrado sua fala, mas tentava falar ao microfone para responder ao presidente da comissão, deputado Rogério Rosso. Foi quando Danilo Forte se irritou e pediu que fosse iniciada a fala do próximo inscrito.

Silvio Costa retrucou e xingou o colega de “merda” e “imbecil”. Aos gritos, Danilo Forte rebateu e xingou Costa de “palhaço”. O presidente da comissão desligou os microfones, mas os deputados continuaram a trocar acusações.

A próxima reunião da comissão está marcada para a próxima segunda-feira (11), às 10h, quando o relator Jovair Arantes fará a réplica. Na ocasião, os 27 líderes partidários poderão fazer comentários acerca do parecer e orientar suas bancadas. Também será aberto espaço para as considerações finais da defesa da presidenta. A votação do relatório na comissão está marcada para ter início às 17h da segunda-feira.

Mais sobre o impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!