Apesar de acordo anunciado pelo governo, mulheres de PMs mantém bloqueios em quartéis no ES

O governo havia fechado acordo com representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do estado. Previsão era que os efetivos retornassem aos trabalhos às 7h deste sábado

 

Mulheres de PMs no Espírito Santo ignoraram acordo fechado entre representantes da Polícia Militar com o governo do Espírito Santo e continuam ocupando as entradas e saídas dos batalhões. O acordo previa que a categoria voltasse ao trabalho às 7h deste sábado. No entanto, as mulheres dos militares alegam que não participaram das negociações.

Desde a última sexta-feira (3), quando os militares deixaram de fazer a segurança da população no Espírito Santo, já foram registrados 127 homicídios, conforme estimativa do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo. O acordo havia sido fechado, na noite de ontem (sexta-feira, 10), entre o governo com as entidades que representam a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar do estado. Para que as corporações voltassem às ruas, o governo se comprometeu a apresentar um cronograma para concretizações dos reajustes das categorias.

Ainda pela proposta, os militares que voltassem ao trabalho neste sábado (11) não seriam punidos. Além disso, ficou prometido a formação de uma comissão para avaliar a carga horária de trabalho dos PMs. O governo também se comprometeu com as desistências das ações propostas contra as associações, caso as corporações voltassem a trabalhar às 7h deste sábado.

O ministro da Justiça em exercício, José Levi Mello do Amaral Júnior, viajou para o estado nesta manhã (11) para companhar uma comitiva que irá verificar a situação da segurança no Espírito Santo e o trabalho dos 300 homens da Força Nacional que foram enviados. Também estarão em Vitória, capital do estado, os ministros da Defesa, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, e da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy.

As manifestações começaram na última sexta-feira (3), quando parentes de policiais se reuniram em frente à 6ª Companhia, no bairro de Feu Rosa, no município de Serra, na Grande Vitória, e iniciaram a mobilização de bloqueio de saída das viaturas. Os protestos se estenderam para outros batalhões durante o fim de semana e atingem todos os quartéis do estado.

 

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!