Itamaraty ganha reforço de 1.293 cargos

Crescente necessidade de ampliação do quadro faz Itamaraty abrir seleções para as carreiras de oficial de Chancelaria e diplomata

Uma das carreiras mais glamourosas e cobiçadas do serviço público tem seu número de vagas multiplicado e aumenta a motivação dos concurseiros que almejam uma vaga no Itamaraty. A Lei 12.601/2012, recentemente sancionada pela presidenta Dilma Roussef, criou 1.293 novos cargos no Ministério das Relações Exteriores (MRE), sendo 893 para oficiais de Chancelaria e 400 para diplomata.

O texto determina que o provimento das vagas criadas será gradual, e as de oficiais de chancelaria, mediante autorização do Ministério do Planejamento, ambos os cargos respeitando a disponibilidade  orçamentária. A expectativa, no entanto, é que novas seleções sejam abertas em curto prazo.

O Brasil tem hoje 223 representações oficiais em todo o mundo, entre missões diplomáticas permanentes, repartições consulares, escritórios de representação e delegações. Entre 2003 e 2011, o governo federal abriu vinte novos postos no continente africano. As seleções para novos diplomatas vêm ocorrendo anualmente.

Segundo o diplomata e professor de português do Curso Atlas, Maurício Costa, o Brasil de hoje é um país que desempenha uma função importante no cenário mundial. “Somos a quinta economia do mundo, um dos maiores produtores de alimentos e lutamos pela reforma da governança global”, enumera.  “Para exercer este novo papel de líder mundial, o país precisa ter mais funcionários, mais embaixadas e mais consulados”, conclui.

Nos últimos três anos, o número de concorrentes não passou dos 9,2 mil em cada concurso. Em 2011, a concorrência foi de 276,15 inscritos por vaga (veja edital do último concurso).  Maurício comenta que atualmente, o Itamaraty tem cerca de 1,4 mil diplomatas. “O número é reduzido se comparado a outros países. Existe uma necessidade real e urgente de ampliação,” avalia o diplomata.

A carreira diplomática é uma das mais almejadas e admiradas entre os concursos públicos, não somente pela estabilidade, mas pelos benefícios e a rotina que o cargo proporciona. Para Maurício, o principal benefício da carreira é a mobilidade. “Como diplomata, é possível trabalhar com os mais diversos temas, ter contato com as mais diversas culturas. Trata-se de uma excelente carreira para se desenvolver diferentes potencialidades e, em diversos casos, descobrir vocações e talentos em si mesmo jamais conhecidos antes”, afirma.

A jornalista Nathália Duarte Neubern, 28 anos, diz ter escolhido a carreira por esses motivos: “Estudo há cinco anos para a carreira de diplomata, e, acho que a escolhi pela minha vocação e pelos atrativos da profissão. Pelas oportunidades de viagens, de conhecer outras culturas e de trabalhar com atividades diferentes”, declarou.

Dicas de preparação

A pedido do Congresso em Foco/SOS Concurseiro , o professor Maurício Costa comenta o processo seletivo para a carreira:

A melhor dica é estudar muito. O candidato ao Concurso de Admissão à Carreira Diplomática (CACD) deve ser versátil e generalista, pois exige-se do candidato, conhecimentos abrangentes: de microeconomia à cultura brasileira, três línguas estrangeiras (inglês, francês e espanhol), além de serem testadas a capacidade de raciocínio e de análise, a objetividade e a clareza do candidato na formulação das respostas.

Além do processo seletivo ser divido em quatro fases, realizadas ao longo de quatro meses, envolvendo uma prova objetiva com oito disciplinas e nove provas discursivas.  O que exige conhecimento em longo prazo. Mesmo assim, o candidato não deve desanimar. O concurso é difícil, é concorrido, mas é completamente tangível.

Seleção atual

A atual seleção para a carreira está sendo aplicada pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos – Universidade de Brasília (Cespe/Unb) e visa ao preenchimento de 30 vagas com remunerações de R$ 12.962,12.

A prova de português, segunda etapa das quatro definidas no edital, foi realizada em abril, e consistia em redação sobre tema geral e em dois exercícios de interpretação, análise ou de comentário de textos.

Foram habilitados para esta fase somente os candidatos classificados até a 200ª posição na listagem geral da primeira etapa, até a 15ª posição na listagem dos que se declararam portadores de deficiência, e à 20ª, dos que se declararam afrodescendentes.

O resultado provisório da segunda fase foi divulgado no último dia 18 e termina no dia 22 o prazo para a interposição de recursos. O candidato pode acessar essas informações através do endereço eletrônico da banca.

O resultado dos recursos, portanto, o resultado final na segunda fase, será anunciado até as 18 horas da data provável de 11 de junho de 2012 e enviado para publicação no Diário Oficial da União, em edital que convocará os candidatos aprovados para as provas da terceira e quarta fases do concurso.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!