Ministro Armando Monteiro volta ao Senado para votar contra impeachment

Placar do impeachment no Senado, porém, não deve ser alterado, já que o suplente de Monteiro, Douglas Cintra, também é contra o afastamento da presidente do Planalto

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, foi exonerado, a pedido, para votar no processo de impeachment no Senado Federal. Monteiro tem mandato de senador pelo PTB-PE e vai votar contra o afastamento da presidenta Dilma Rousseff. A exoneração foi publicada na edição de hoje (9) do Diário Oficial da União.

Contudo, a estimativa de placar do impeachment no Senado, onde Dilma tem desvantagem, não deve alterar. Douglas Cintra, suplente de Armando Monteiro e que votaria no lugar do ex-ministro, também se posiciona contra a saída da presidente do poder.

Depois de admitido no Congresso pela Câmara dos Deputados, o processo de impeachment de Dilma Rousseff seguiu pra o Senado e teve parecer favorável ao afastamento da presidenta aprovado na Comissão Especial, por 15 votos a favor e 5 contrários. Na quarta-feira, a expectativa é que os senadores comecem a votação em plenário.

Há uma semana, Monteiro disse que sua saída do ministério dependeria de decisão de Dilma. “É a presidente que definirá. Se ela me liberar, terei muita disposição para votar no Senado no dia 11 [data prevista para votação no plenário], para afirmar essa posição de solidariedade ao governo e ao mandato da presidenta”, afirmou Monteiro. O ministro destacou que tem tarefas a concluir na pasta antes de um eventual afastamento da presidenta e de mudanças nos ministérios.

O Diário Oficial da União também trouxe a exoneração do diretor da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Leandro Reis Tavares.

Com informações da Agência Brasil

Mais sobre o impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!