Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Marina defende condenação de Lula como decisão técnica: “A lei é para todos”

 

A pré-candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, considerou técnica a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de condenar o ex-presidente Lula a 12 anos e 1 mês de prisão. Em entrevista ao Estadão, Marina disse que a “lei deve ser para todos” mesmo que isso signifique a prisão do petista, condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).

“Não temos que ter uma lei para o Lula, para o Aécio (Neves), para o Jader Barbalho ou para o Renan Calheiros”, disse ao jornal paulista a ex-ministra do Meio Ambiente de Lula.

"Meu entendimento, com base nos autos, é que foi uma decisão técnica. Obviamente que ele tem o direito de fazer esse percurso, mas chegará o momento em que teremos que nos deparar com o cumprimento da lei e eu advogo que a lei deve ser cumprida por todos, independente do poder econômico ou político. Espero que nessas eleições cada candidatura se coloque independente dos concorrentes."

>> PT e PSDB estão juntos e levaram o Brasil para o buraco, diz Marina

A ex-senadora é considerada a principal herdeira do eleitorado petista, ao lado de Ciro Gomes (PDT), caso Lula seja excluído da disputa eleitoral. Mas, segundo ela, a disputa não deve ser reduzida a pessoas.

“Se reduzirmos a eleição a pessoas, ainda que sejam muito importantes, a gente vai diminuir a importância do debate para os problemas que estamos vivendo. Lula está fazendo aquilo que a lei lhe assegura, que é buscar todos os mecanismos de revisão para as decisões que foram tomadas pela Justiça. Meu entendimento, com base nos autos, é que foi uma decisão técnica.”

Para ela, a interpretação da lei, como no caso da prisão em segunda instância, não deve ser alterada conforme o personagem envolvido.

“A lei deve ser para todos. Não podemos ter dois pesos e duas medidas, essa é a minha posição. Você não pode ter a d’emanda por impunidade em função de quem está sendo julgado, nem a demanda por justiça, por vingança em função da pessoa que está sendo punida. Temos que ter o correto equilíbrio – justiça é reparação. Quem errou vai cumprir sua pena de acordo com o que é estabelecido pela lei, assegurados todos os direitos da democracia.”

Nas últimas pesquisas de intenção de voto do Datafolha, Marina na terceira colocação, atrás de Lula e Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Mas aparece à frente do deputado fluminense em uma eventual disputa em segundo turno sem o petista.

Continuar lendo