Maguito temia promotor, diz Cachoeira em grampo

Em entrevista ao site, ex-governador também queixa-se de promotor Élvio Vicente Silva, que ajuizou ação pedindo bloqueio de seus bens e representação por sua prisão

Três meses depois de a Delta assinar o contrato de coleta de lixo de R$ 51 milhões com a prefeitura de Aparecida de Goiânia, o bicheiro Carlinhos Cahoeira, preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, diz a um homem não identificado que foi procurado pelo prefeito da cidade, o ex-governador e ex-senador Maguito Vilela. Na conversa, ele diz que Maguito está “com medo” porque “um tal de Élvio” está “pegando no pé dele demais”. Élvio Vicente Silva é o promotor de Justiça em Aparecida de Goiânia. Em entrevista ao Congresso em Foco, Maguito praticamente repete o que dissera Cachoeira no grampo, ao reclamar que Élvio “cria problemas com todo mundo”. Ele prometeu processá-lo judicialmente e no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Promotores querem prisão de ex-governador de Goiás

Em 13 de abril de 2011, Cachoeira fala com um interlocutor sobre um determinado negócio, que teria uma duração de vinte meses, com um valor de R$ 16 milhões. O interlocutor diz a Cachoeira que vinte meses seria tempo demais. Cachoeira aproveita para contar uma novidade, a de que teria sido procurador pelo prefeito de Aparecida, Maguito. “O Maguito me procurou, através daquele amigo meu, o senador, pra ver se resolve o problema de Aparecida. Quer dizer que ele tá com medo, viu? Ele não tem controle da situação, não. O cara tá pegando no pé dele demais lá, um tal de Élvio”, conta o bicheiro. O senador mencionado, supõe-se, é Demóstenes Torres (ex-DEM-GO)

Leia outros destaques de hoje no Congresso em Foco

Em entrevista ao Congresso em Foco, na noite de quarta-feira (6), Maguito não só negou a denúncia de favorecimento à Delta, como disse que iria à Justiça e ao CNMP contra os promotores do Ministério Público, a quem acusou de perseguição e desejo de obter visibilidade no noticiário, que se volta para a CPI no Congresso e a empreiteira Delta. O ex-governador citou nominalmente Élvio Vicente, um dos 20 promotores de Aparecida de Goiânia. Disse que tem o relacionamento com os outros colegas dele é “o melhor possível”.

“Só ele que cria problemas com todo mundo”, reclamou Maguito ao site. Ele disse que nem sabe se disputará a reeleição devido às perseguições que diz sofrer. “É difícil administrar com essas interferências. Se tem irregularidade, prova.”

Maguito disse ao site que os promotores do Ministério Público “todo dia estão chamando secretários” para prestarem esclarecimentos. “Não deixam ninguém trabalhar”, protestou o prefeito. Maguito afirmou que Elvio é “o cabeça” dos procedimentos que pedem sua prisão e o bloqueio de seus bens por suposto favorecimento à Delta na licitação da coleta de lixo da cidade. “Ele cria problema com a minha administração, com os meus secretários, com todo mundo”, lamentou.

“Não lembro”

O ex-governador e ex-senador disse que nunca teve relações com Cachoeira, mas foi na gestão de Maguito como governador de Goiás que o bicheiro passou a administrar a loteria estadual, por meio da empresa Gerplan. “Ele ganhou a licitação sem eu nunca ter falado com ele.” Maguito admitiu que conheceu Cachoeira numa partida de futebol há 14 anos – e só.

“Nunca tive relacionamento com ele”, chegou a dizer o prefeito. A reportagem perguntou qual foi a última vez que Maguito falou com Cachoeira. Ele respondeu: “Ah, honestamente não lembro... Mas, nunca, nunca tive negócio com ele. Nunca tive. Vocês podem verificar a minha vida e a vida dele. Nunca existiu negócio, nunca existiu telefonema, nunca existiu nada”.

O prefeito disse que os grampos apenas mostram citações a seu nome, quando o bicheiro indica que empresários procurem Maguito. Ele disse que nunca foi procurado por essas pessoas. “Nem sei quem são os empresários”, disse o prefeito e ex-governador.

Em nota ao Congresso em Foco, a Delta disse que não irá comentar o caso até conseguir ou não decisão favorável a seu pedido de recuperação judicial feito no Judiciário do Rio de Janeiro.

Procuradores querem prisão de ex-governador de Goiás
Tudo sobre o caso Cachoeira

Saiba mais sobre o Congresso em Foco (2 minutos em vídeo)

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!