Lasier filia-se ao PSD com promessa de ocupar principal comissão no Senado

Senador estava sem partido depois que deixou o PDT, ameaçado de expulsão por ter votado a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff

 

Ameaçado de expulsão do PDT por ter votado pelo impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff e a favor da emenda constitucional que limita os gastos da União pela inflação do ano anterior, o senador Lasier Martins (RS) transferiu-se para o PSD. A decisão do parlamentar foi tomada depois que a direção da legenda, dirigida pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab, prometeu a ele uma vaga na Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do Senado.

Lasiser estava sem filiação partidária desde novembro quando deixou o PDT. Chegou a negociar sua filiação na Rede, partido dirigido pela ex-senadora Marina Silva, mas preferiu uma legenda mais poderosa para ocupar cargos importantes na estrutura do Senado. Ele também vai ocupar a vice-liderança no partido na Casa este e no próximo ano, além de ocupar um cargo na direção estadual do PSD no Rio Grande do Sul.

“É um partido novo que assinala em suas diretrizes e princípios total intransigência com a corrupção, luta por um Brasil de inclusão social, de economia competitiva, que defende a reforma política, incluindo a criação do voto distrital”, diz a nota do senador para justificar a sua opção. Aos 76 anos, o parlamentar está no primeiro mandato. Jornalista e radialista, ele foi o relator da emenda que mudou a configuração jurídica da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Com a chegada de Lasier, o PSD passa a ter uma bancada de cinco parlamentares, liderados por Omar Aziz (AM), e fará parte do bloco de apoio parlamentar ao governo do presidente Michel Temer.

Leia mais sobre eleição no Senado

Continuar lendo