Jucá é dono oculto de terreno em disputa, diz lobista

Eduardo Militão
O lobista Geraldo Magela Rocha, que afirma ter sido ?laranja? do líder do governo no Senado em uma televisão, e em uma faculdade diz agora que também representou Romero Jucá (PMDB-RR) num estranho negócio imobiliário. Segundo Magela, Jucá é sócio oculto de um terreno em Boa Vista (RR) que está sendo disputado judicialmente. O lobista conta que foi intermediário em uma transação em que Jucá buscava ser parceiro do ex-governador de Roraima Antônio Airton Oliveira Dias. A transação aconteceu em 2001. Airton era dono de um terreno de 40 mil metros quadrados, e a pretensão era construir ali um condomínio residencial. ?Para isso, o Airton passou uma procuração para mim para que fosse iniciado o negócio, a pedido do Romero. Eu, na transação, seria o representante do Romero?, explica o lobista. Com a procuração, Magela faz uma venda, pelo menos no papel, para o filho de Romero Jucá, Rodrigo Jucá. Algo, porém, não deu certo no negócio. Airton reclama, na Justiça de Roraima, que passaram a perna nele. A escritura do terreno foi repassada para Rodrigo, e Airton diz não ter visto a cor do dinheiro.


À época, Magela Rocha ainda era aliado da família, um colaborador das campanhas eleitorais do senador. Para concretizar a parceria, o lobista, com a procuração, faz uma venda, ao menos no papel, para a empresa do filho do senador, o deputado estadual Rodrigo Jucá (PMDB). Em março de 2003, o terreno passa formalmente para a Societat Participações Ltda.








Localização do terreno em Boa Vista, segundo o lobista
O preço acertado entre Magela e Rodrigo foi de apenas R$ 60 mil. Mas, numa ação judicial, Airton diz que o valor da área era de quase R$ 670 mil. E mais, diz ao juiz da 5ª Vara Cível de Boa Vista que não recebeu nenhum centavo pelo negócio. A ação é de 2006, cinco anos depois da tentativa de sociedade no condomínio com ? segundo o lobista ? o senador Romero Jucá.


O lote é disputado na Justiça ao mesmo tempo em que o filho de Jucá, com patrimônio nove vezes maior que o do pai, compra à vista uma outra área por R$ 1 milhão.

O lobista diz que, outra vez, agiu a mando de Jucá e que o senador é sócio oculto do negócio. ?Eu não sei de nada e a única coisa que fiz foi emprestar, mais uma vez, o meu nome para que o Romero fizesse os seus empreendimentos. Nunca ganhei nada no terreno, na faculdade e na televisão?, disse Magela Rocha ao Congresso em Foco.


Meu filho


O líder do governo no Senado, Romero Jucá, disse ao Congresso em Foco que se tratou de uma ?parceria? entre Airton e Rodrigo, mas que ele não tem participação no negócio, ainda travado na Justiça. ?Um dia, meu filho fez um acordo com o governador Airton Dias para adquirir alguns terrenos, em parceria com ele. E estão discutindo isso na Justiça?, afirma o senador. Jucá nega ter qualquer relação comercial no futuro condomínio. ?Ele [Magela Rocha] está querendo me atacar. Ele está dizendo que fez negócios comigo, e não foi comigo que ele fez negócios.?


O lobista afirma que, em 2006, quando ainda era ligado ao líder do governo, Airton Dias o procurou para cobrar o senador pelo preço do terreno, que estaria em débito. ?Eu disse a ele: ?Mas o Romero me disse que você devia a ele R$ 60 mil ou R$ 70 mil??, relembra Magela Rocha. A resposta do ex-vice-governador foi dura: ?Primeiro, o terreno vale mais de R$ 600 mil, e eu não devo um tostão pro Romero. É conversa dele, é mentira do Romero Jucá?.




Descumprimento


Na ação judicial, aberta logo depois do telefonema para Magela, Airton Dias pede que seja desfeito o negócio entre o lobista e a empresa do filho do senador. Em março deste ano, ele e os advogados de Rodrigo Jucá entraram em um acordo judicial, encerrando a pendenga. Mas, um mês depois, uma petição foi enviada ao juiz Mozarildo Monteiro, da 5ª Vara Cível, que ainda analisa o processo.


Segundo Magela Rocha, trata-se de pedido de desarquivamento da causa, por descumprimento do acerto. O senador Romero Jucá diz que seu filho e Airton Dias ainda não encerraram o problema: ?Estão discutindo isso na Justiça?.


Procurado, o ex-vice-governador de Roraima Airton Dias prometeu conceder entrevista mais tarde, mas depois não foi mais localizado e não retornou nenhum dos recados deixados.


O filho do senador, o deputado estadual Rodrigo Jucá, pediu para responder às perguntas da reportagem por escrito. Mas até a noite de segunda-feira (20), não houve resposta às questões enviadas por correio eletrônico.


Lobista diz que foi ?laranja? de Jucá em faculdade

Fiho de Jucá compra terreno à vista e patrimônio sobe 58% 

Leia a íntegra da entrevista de Romero Jucá

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!