Inácio Arruda contesta dados sobre assiduidade

Senador diz ter justificado as oito ausências que teve em 62 sessões de votação no primeiro semestre, todas para cumprir "missões autorizadas"

Matéria atualizada em 22 de setembro, às 14h20

O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) encaminhou ao Congresso em Foco nota de esclarecimento por meio da qual contesta as informações veiculadas hoje (quinta (15) por este site, a respeito da assiduidade dos senadores em sessões plenárias deliberativas (para votação de proposições) no transcorrer do primeiro semestre. A reportagem, com base em registros oficiais do Senado, reuniu ocorrências de comparecimento em plenário segundos as quais Inácio foi o quarto senador em número de faltas sem protocolo de justificativa – eventuais ausências podem ser abonadas por pedidos de licença, que são três (por missão política, motivos de saúde e interesse particular). De acordo com atas da Secretaria Geral da Mesa, responsável pelas anotações de presença, o parlamentar cearense teve cinco faltas injustificadas em um universo de 62 sessões de votação.

Mas a própria secretaria corrigiu as informações, procedimento que pode ser feito a qualquer hora, e constatou que Inácio Arruda havia registrado justificativa para todas as oito ausências a sessões de votação. A razão alegada para as ausências, segundo os dados oficiais, foi cumprimento de missões políticas autorizadas. Diante das retificações do Senado, o senador foi retirado da lista dos mais faltosos, como este site já havia feito na matéria principal sobre o assunto.

Inácio, por meio de sua assessoria de imprensa, diz que ainda não teve qualquer falta no ano, e que deixou de comparecer a oito sessões de votação, todas elas justificadas e acatadas pelo Senado como “missões autorizadas”. Para comprovar a alegação, a assessoria encaminhou documento fornecido pela Secretaria Geral ratificando a “informação equivocada”.

Como mostra a reportagem, oito ausências de fato foram contabilizadas nos meios oficiais. “Por sua vez, Inácio Arruda, o quarto mais faltoso, registrou três licenças por missão política, além das cinco faltas registradas sem justificativa. O senador se ausentou, com o devido abono de faltas, das sessões deliberativas dos dias 16 de fevereiro, 3 de março e 20 de abril”, diz o trecho original do texto contestado pelo senador (confira a reportagem já atualizada).

O Congresso em Foco reitera que o levantamento, feito com exclusividade desde 2007, apenas se baseia nos números registrados oficialmente pela Secretaria Geral da Mesa. A despeito das eventuais dificuldades impostas pelo mecanismo de pesquisa na página eletrônica do Senado, a reportagem invariavelmente retifica, a qualquer tempo, eventuais erros de documentação cometidos pela instituição reproduzidos em nossas páginas.

Vale mencionar ainda que o trabalho minucioso de apuração é feito nome a nome, junto a atas diárias, quando são conferidos e comparados ausências, registros de comparecimento e requerimentos de licença – cada um deles disposto separadamente no site oficial, o que dificulta a compilação.

Leia também:

Faltas dos senadores caem pela metade

Senado abona três de cada quatro faltas

Leia a íntegra da nota de Inácio Arruda:

“Ao contrário do que noticiou o site Congresso em Foco, o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) não teve nenhuma falta às 62 sessões ocorridas neste ano. Conforme informação da Mesa do Senado, os oito dias em que o Senador não registrou presença se devem a missões autorizadas pela Casa, conforme os art.13 e 40 do Regimento Interno do Senado. Solicito que o Congresso em Foco corrija, portanto, a informação equivocada.”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!