Governo vai criar “PAC” contra miséria

Rudolfo Lago


Um novo PAC, um programa de investimentos, destinado a erradicar completamente a miséria do país. Essa é a primeira meta determinada pela presidenta Dilma Rousseff aos seus ministros. De acordo com a ministra do Desenvolvimento e Combate à Fome, Tereza Campello, Dilma reuniu hoje (6) onze de seus 37 ministros para discutir a elaboração do programa.


"Vamos construir um modelo de gestão como o PAC, onde queremos ter metas claras, condições de monitoramento. Queremos prestar contas para a sociedade do andamento dessas metas”, explicou a ministra. Ou seja: as ações para o combate à miséria terão um acompanhamento e um controle de metas semelhante ao que foi adotado no governo Lula para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que tinha Dilma, então ministra da Casa Civil, como coordenadora.


Três diretrizes nortearão o PAC contra a miséria, segundo a ministra: inclusão produtiva (acesso ao mercado de trabalho ou a pequenos empreendimentos), ampliação da rede de serviços (como saúde pública) e aprofundamento dos programas de benefício e transferência de renda, como o Fome Zero e o Bolsa Família. Um comitê gestor, que será coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome foi criado.


Além de Tereza Campello, participaram da reunião com Dilma os ministros Guido Mantega, da Fazenda; Alexandre Padilha, da Saúde; Fernando Haddad, da Educação; Antonio Palocci, da Casa Civil; Miriam Belchior, do Planejamento; Afonso Florence, do Desenvolvimento Agrário; Mário Negromonte, das Cidades; Carlos Lupi, do Trabalho; Fernando Bezerra Coeolho, da Integração Nacional; Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho.

Continuar lendo