Ex-ministro diz que se impeachment for confirmado, PT vai às ruas pedir eleições diretas

Para Miguel Rossetto, população não vai se conformar com a concretização do impeachment. Ele disse ter "certeza" que "um governo usurpador e ilegítimo, com uma agenda recessiva", liderado por Temer, não será aceito pelo Brasil, e levará a uma reação contra o peemedebista

O ex-ministro do Desenvolvimento Agrário e do Trabalho e Previdência Social dos governos Lula e Dilma Rousseff, Miguel Rossetto, afirmou que caso o impeachment seja aprovado pelo Senado, o Partido dos Trabalhadores (PT) e movimentos sociais contra o processo de afastamento da presidente da República irão às ruas pedir eleições "Diretas Já!". Nas informações publicadas pela Folha nesta segunda-feira (29), Rossetto diz que a convocação será feita "no dia seguinte" à decisão do plenário da Casa.

Leia frases ditas pela presidente durante discurso feito aos senadores

Para Rossetto, a população não vai se conformar com a concretização do impeachment. Ele disse ter "certeza" que "um governo usurpador e ilegítimo, com uma agenda recessiva", liderado pelo presidente interino Michel Temer, não será aceito pelo Brasil, e levará a uma reação contra o peemedebista.

No seu perfil do Twitter, Miguel Rossetto julgou como "brutal" o processo de afastamento da presidente: "Dilma sendo julgada, sem crime, Lula indiciado sem crime e Eduardo Cunha livre e solto. É preciso acreditar e lutar!!"

Miguel Rossetto está entre os convidados da presidente afastada e acompanha a sessão desta segunda-feira no Senado junto a Lula, ex-ministros do governo Dilma e artistas contrários ao impeachment da petista.

Mais sobre impeachment

Mais sobre Dilma Rousseff

Acompanhe a sessão ao vivo

Leia a matéria da Folha na íntegra

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!