Época: Renan é investigado por lavagem de dinheiro em Maceió

Peemedebista é suspeito de irregularidade na compra e venda de quatro apartamentos de um prédio na capital alagoana. Investigação quer saber como os imóveis foram parar nas mãos de ex-senador e seu filho, o deputado federal Wilson Filho, mais dois irmãos

Reportagem da revista Época deste fim de semana revela que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), está na mira do Ministério Público por transação imobiliária suspeita em Maceió. Segundo a publicação, um negócio conduzido por Renan em parceria com o ex-senador Wilson Santiago, também peemedebista e atualmente diretor de relações institucionais do Grupo Banco do Brasil/Mapfre, despertou a atenção da Receita Federal.

Diante das suspeitas de irregularidade, auditores da Receita alertaram a Procuradoria-Geral da República (PGR), que as repassou aos procuradores que investigam Renan na Operação Lava Jato. Segundo a revista, os indícios de ilícito surgiram da compra e venda de quatro apartamentos de um prédio, por Renan, na capital alagoana. A investigação quer saber como os imóveis “foram parar nas mãos de Santiago, seu filho, o deputado federal Wilson Filho, e seus dois irmãos”, destaca Época.

“O Residencial Pátio fica numa viela em uma área industrial de Maceió, em Alagoas. Em seus pilares, a Receita Federal encontrou indícios de que o presidente do Senado [...] participou de uma operação de lavagem de dinheiro”, registra a introdução da matéria assinada pela repórter Alana Rizzo.

A Receita detectou indícios de irregularidade ao investigar a transferência de uma empresa de Renan para sua mulher, Verônica. A Tarumã Empreendimentos Imobiliários, criada depois das eleições de 2010, ficou aberta por nove meses, e “aparentemente” não realizou qualquer negócio. “No cruzamento que a Receita fez entre declarações do Imposto de Renda e dados sobre suas atividades imobiliárias, os negócios apareceram. Os procuradores querem saber de onde veio o dinheiro que permitiu a compra dos imóveis em Maceió e se Renan realmente os comprou antes de revendê-los para a família Santiago”, explica o texto.

Procurado para comentar o assunto, Renan disse à revista que não falaria a transação, por se tratar de negócio particular. Já Wilson Dias deu “quatro versões distintas” sobre a transação dos imóveis.

“Primeiro, disse que a empreiteira da família, a Terradrina Construções, tinha comprado os imóveis. Depois, afirmou que tinha adquirido o imóvel para veraneio em Maceió – mas o prédio fica a 15 quilômetros do litoral. Em seguida, garantiu que a operação tinha sido um investimento. Por fim, o deputado disse que o negócio foi feito por seu pai e que só tinha tomado conhecimento depois que fora agraciado com o apartamento”, acrescenta a matéria.

Confira a íntegra

Leia mais sobre os processos de Renan Calheiros e demais senadores:

Quase 40% dos senadores têm pendências criminais

Mais sobre processos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!