Dilma pede apuração sobre morte de secretário do Planejamento

Secretário de Recursos Humanos da pasta, Duvanier Paiva Ferreira morreu na madrugada de ontem após passar por três hospitais em Brasília

A presidenta Dilma Rousseff pediu nesta sexta-feira (20) que as circunstâncias da morte do secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, seja apurada. O servidor, de 56 anos, morreu em consequência de um infarto. A determinação foi passada ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal Correio Braziliense, dois hospitais particulares da capital se recusaram a atender o secretário por não aceitar o seu plano de saúde. Em ambos os casos, prossegue o periódico, foi pedido um cheque como caução pelo atendimento. No entanto, ele estava sem cheque.

Duvanier foi atendido em um terceiro hospital, o Hospital Planalto. Porém, quando sua ficha de atendimento era preenchida, ele teve uma parada cardíaca. Os médicos da instituição tentaram mas não conseguiram reanimá-lo. Na noite de quinta-feira (19), a presidenta Dilma ligou para o ministro Alexandre Padilha e determinou a apuração rigorosa do caso.

Em nota de pesar, Dilma disse que o secretário teve uma trajetória política destacada, tanto no movimento sindical quanto no governo, em defesa da democracia e da justiça social no Brasil. “Sua inteligência, dedicação e capacidade de trabalho farão muita falta à nossa administração. Consternada com a notícia da sua perda, envio meu abraço solidário a seus amigos, familiares e colegas de trabalho”, disse a presidenta.

Com informações da Agência Brasil e do Blog do Planalto

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!