Democratas americanos acusam Sérgio Moro de perseguir o ex-presidente Lula

Petista se diz vítima de manipulação "arbitrária da lei" e de um "vale-tudo acusatório"por parte dos procuradores do Ministério Público Federal e do juiz responsável pelas ações da Operação Lava Jato

 

Em carta pública endereçada ao embaixador do Brasil em Washington, Sérgio Amaral, um grupo de 12 deputados do Partido Democrata dos Estados Unidos saíram em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e acusam o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato no Paraná, de perseguir o petista por meio de decisões arbitrárias. O jornal Folha de S. Paulo obteve a carta e divulgou trechos em que os parlamentares afirmam que o ex-presidente está sendo "perseguido".

"Estamos especialmente preocupados com a perseguição do ex-presidente Lula da Silva, que viola as normas de tratados internacionais que garantem o direito da defesa para todos os indivíduos", diz trecho da carta obtida pelo jornal.

Lula é réu em cinco ações penais, sendo três no âmbito da Operação Lava Jato, uma na Operação Zelotes e uma na Operação Janus. Em dezembro do último ano, o ex-presidente fez campanha online para arrecadar fundos contra a dita "perseguição judicial" contra ele. A campanha, que terminou no dia 24 de dezembro, arrecadou R$ 250 mil em 17 dias.

O petista se diz vítima de manipulação "arbitrária da lei" e de um "vale-tudo acusatório"por parte dos procuradores do Ministério Público Federal (MPF) e do juiz Sérgio Moro. O valor arrecadado será usado para divulgar o movimento pró-Lula na internet e para organizar mobilizações, eventos e manifestações internacionais para defender o ex-presidente.

Ainda de acordo com o jornal, os parlamentares americanos afirmam que o governo de Michel Temer tem agido "para proteger figuras políticas corruptas, para impor uma série de políticas que nunca seriam apoiadas em uma eleição nacional e pressionar adversários nos movimentos sociais e nos partidos de oposição."

O grupo é liderado pelo deputados democrata John Conyers. "Nos últimos meses, ele [Lula] tem sido alvo de uma campanha de calúnias e acusações não comprovadas de corrupção pelos grandes veículos privados de mídia alinhados com as elites do país", dizem os americanos. Alguns sindicatos americanos também assinam a carta.

Leia a íntegra da notícia no site do jornal Estado de S. Paulo

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo