Delcídio negociou nome para diretoria de TI da Petrobrás

Em conversa com o advogado de Nestor Cerveró, senador disse que a pasta seria uma boa alternativa, pois é “menos visada” e tem orçamento de R$ 1 bilhão

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) negociou a indicação de um nome para a diretoria de Tecnologia da Informação da Petrobras. Durante a conversa com Edson Ribeiro, advogado do ex-diretor da estatal, Nestor Cerveró, o parlamentar disse que a pasta seria uma boa alternativa, uma vez que é “menos visada” e conta com um orçamento de R$ 1 bilhão. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

“Tem que fazer a gerência de TI. Porque a Gerência de TI, ela não tá... ela não é atividade fim. É atividade meio. E ninguém enche o saco” disse Delcídio. “Eu vou ver direitinho isso (...) porque TI não está na linha de frente e ó (...) É o que você falou. Tem o orçamento de 1 bilhão”, completou o senador.

A conversa aconteceu na mesma reunião em que o petista ofereceu R$ 4 milhões pelo silêncio de Cerveró nas investigações da Operação Lava Jato, além de apoio para sua fuga para a Espanha. Quem puxou o assunto sobre nomeações na Petrobras foi Edson Ribeiro, que chegou a indicar alguns nomes para assumir cargos de direção estatal. Delcídio chegou a sinalizar positivamente em relação a dois deles. O senador já foi diretor da Petrobras e demonstrou ainda ter influência na estatal.  A própria indicação de Nestor Cerveró para a Área Internacional da empresa é atribuída à Delcídio.

Toda a negociação – que durou aproximadamente 1h30 – foi gravada pelo filho de Nestor, Bernardo Cerveró e entregue ao Ministério Público Federal (MPF). A gravação motivou a prisão de Delcídio Amaral, Edson Ribeiro e do banqueiro André Esteves nesta quarta-feira (25).

Veja a reportagem completa em O Estado de São Paulo

Mais sobre Operação Lava Jato

Mais sobre Delcídio do Amaral

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!