CUT derruba liminar que proibia comemoração do Dia do Trabalho na Avenida Paulista

Em nota, CUT informou que ato vai acontecer a partir das 14h na Avenida Paulista e, em seguida, manifestantes seguirão até a Praça da República, onde serão realizadas as apresentações de artistas

 

 

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) conseguiu, neste domingo (30), derrubar parcialmente a liminar expedida ontem (sábado, 29) pelo juiz Emanuel Brandão Filho, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que proibia a entidade de realizar o ato em comemoração ao Dia do Trabalho amanhã (segunda, 1º) na Avenida Paulista. A decisão de Emanuel determinava, inclusive, multa de R$ 10 milhões caso a medida fosse desobedecida.

Depois da audiência com as partes –  CUT e a prefeitura de São Paulo – o juiz Alexandre David Malfatti decidiu que a central vai poder promover o ato político na Avenida Paulista. Entretanto, sem a realização de shows. Segundo o advogado da CUT, Vinicius Cascone, "a decisão teve com base a isonomia", já que outras entidades também organizaram programações no local.

Em nota, a CUT informou que o ato vai acontecer a partir das 14h na Avenida Paulista e, em seguida, os manifestantes seguirão em caminhada até a Praça da República, onde serão realizadas as apresentações de artistas. A Prefeitura de São Paulo manifestou, em nota, disposição em colaborar com a central na realização de evento na Praça da República.

* Com informações da Agência Brasil

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!