Cai o número de prefeitas eleitas em todo o país

Das 5.506 prefeituras com resultado definido, apenas 637 (11,6%) serão comandadas por mulheres. Em 2012, 664 candidatas venceram a disputa em primeiro turno. Elas venceram mais em estados do Norte e Nordeste e enfrentaram mais resistência no Sul e no Sudeste

 

 

 

Para cada nove homens, apenas uma mulher foi eleita prefeita em primeiro turno nesse domingo (2). De acordo com do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as candidatas conquistaram apenas 637 (11,6%) das 5.506 prefeituras já definidas. O resultado representa uma queda em relação à disputa passada. Em 2012, 664 mulheres (12,03%) saíram vitoriosas no primeiro turno.

Em todo o país, 2.150 mulheres concorriam ao cargo de prefeita, ante 14.418 homens candidatos. Os cinco estados que mais elegeram mulheres para a prefeitura são das regiões Norte e Nordeste do país: o Rio Grande do Norte, com 28,1%, Roraima, com 26,7%, Alagoas, com 20,8%, Amapá, com 20%, e Maranhão, com 19%.

Por outro lado, cinco estados do Sul e do Sudeste foram os que elegeram menos prefeitas no Brasil. No Espírito Santo, somente 5,4% dos vencedores nas prefeituras são mulheres. Rio Grande do Sul (6,1%), Minas Gerais (7,3%), Paraná (7,4%) e Santa Catarina (8,2%) completam a lista das unidades federativas com menor representação feminina nos Executivos municipais.

Entre os oito prefeitos de capital eleitos, só uma mulher: Teresa Surita (PMDB-RR), reeleita em Boa Vista. Entre os 110 candidatos que seguem na disputa em segundo turno, apenas seis são mulheres: Ângela Amin (PP), em Florianópolis, Rose Modesto (PSDB), em Campo Grande, Beth Colombo (PRB), em Canoas, Raquel Lyra (PSDB), em Caruaru (PE), Haifa Madi (PPS), em Guarujá (SP), e Pollyana Gama (PPS), em Taubaté (SP).

Este ano, 56 municípios tiveram disputa apenas entre candidatas. Em compensação, em 3.381 cidades, só homens concorreram. Na eleição de 2008, as eleitas representaram apenas 9,12% do total. Naquele ano, 504 mulheres conquistaram o mandato para o Executivo municipal.

A eleição municipal de 2016 foi a segunda em que vigorou a Lei 12.034/2009, que obriga partidos e coligações a reservarem no mínimo 30% das vagas para um dos sexos. Mas também foi marcada pela queda no registro de candidaturas femininas para prefeitura: de 13,39%, em 2012, para 12,97% este ano.

Confira aqui os resultados das eleições de 2016 – primeiro turno

Mais sobre eleições

Mais sobre mulheres

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!