Bolsonaro diz não ver “nada de mais” em carona de ministro à mulher em avião oficial

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (3) não achar "nada de mais" que autoridade do poder Executivo dê carona em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) durante uma viagem oficial. O presidente afirmou ainda que de vez em quando dá caronas no avião presidencial.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, concedeu carona para sua esposa passar férias em Paris. O ministro foi à França para participar do encontro da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Na viagem, sua esposa foi e voltou no avião oficial. Nesse intervalo permaneceu em Paris como turista, não pagou passagem e compartilhou com o marido o quarto de hotel nas proximidades da famosa avenida Champs-Élysées, com a estadia paga pelo governo.

"Se um avião presidencial nosso vai para algum lugar a serviço, não vejo nada de mais levar alguém no avião. Não vejo nada de mais nisso aí. Agora, se está errado, se tiver alguma norma dizendo o contrário, eu vou conversar com ele", disse o presidente.

O Decreto 4.244/2002, sobre voos da FAB, determina que a frota é "somente" para transporte das seguintes autoridades: vice-presidente, ministros do Estado, chefes dos três Poderes e das forças Armadas, exceto nos casos em que há uma autorização especial do ministro da Defesa. Pouco antes de assumir a Presidência, Bolsonaro distribuiu uma cartilha com normas e procedimentos éticos a serem seguidos no seu mandato. No capítulo sobre voos oficiais, o texto estabelece que somente o ministro e a equipe que o acompanha no compromisso podem utilizar as aeronaves oficiais.

Segundo a Folha, o presidente lembrou que, em julho, autorizou que um helicóptero da Presidência da República transportasse seus familiares para o casamento do seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), no Rio de Janeiro. "É a mesma coisa quando uma irmã minha, primo, uns três ou quatro entraram em um helicóptero no Rio de Janeiro. Eu estava indo a um casamento e o helicóptero estava vazio. Apanhei para caramba de vocês e o gasto ia ser feito", completou.

> Rodrigo Maia voou 73 dias em aviões da FAB no primeiro semestre

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!