Bloqueio de contas foi descabido, diz Opportunity

Banco afirma que medidas tomadas pela PF e pelo Judiciário durante a Operação Satiagraha serviu para incrementar “currículo das autoridades envolvidas” na “perseguição” à instituição financeira de Daniel Dantas

São Paulo, 4 de abril de 2013

Prezados senhores,

A reportagem "Brasil só resgata 4% do dinheiro lavado no exterior" editada, na sexta-feira 4, no Congresso em Foco, cita o Opportunity e Daniel Dantas.

Por isso, é preciso esclarecer que:

1)   O Opportunity não tem fundo de pensão. A citação feita na reportagem sobre "recursos de fundo de pensão do Opportunity" é incorreta.

O Opportunity é um gestor de recursos de terceiros. A principal atividade do Opportunity está relacionada com a gestão de fundos de investimento.

2) O objetivo dos pedidos de bloqueio feitos no âmbito da Operação Satiagraha era a busca de qualquer valor financeiro que pudesse ser utilizado na mídia e no currículo das autoridades envolvidas para justificar a perseguição feita ao Opportunity.

Os pedidos de bloqueio de recursos dos Fundos Opportunity foram considerados descabidos o que foi reconhecido pelos Estados Unidos, e por isso, esses fundos tiveram o direito de recuperar os custos incorridos com advogados na defesa do caso.

3)  Daniel Dantas e o Opportunity foram vítimas de duas operações policiais, a Chacal, em 2004, e o seu desdobramento, a Satiagraha, em 2008, ancoradas em fraudes e corrupção.

4)   Daniel Dantas foi absolvido da ação penal originada pela Operação Chacal, em fevereiro de 2012.

5)   A Satiagraha foi anulada pelo Superior Tribunal de Justiça, em razão da participação ilegal de particulares e agentes do serviço secreto (ABIN), em 7 de junho de 2011.

Atenciosamente,

Elisabel Benozatti

Assessoria de Comunicação do Opportunity

Leia mais sobre Daniel Dantas

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!