Arruda recorre ao TSE para evitar expulsão do DEM

Rodolfo Torres


A defesa do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, ingressou no final da tarde desta quarta-feira (9) com um mandado de segurança no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a suspensão do processo que a Executiva Nacional do DEM move contra ele. A relatoria ficará com a ministra Cármen Lúcia. O ministro Marcelo Ribeiro, indicado inicialmente para ser o relator, declarou suspeição.


O DEM decidirá na próxima sexta-feira (11) se expulsa ou não o governador, flagrado em vídeo recebendo maços de dinheiro de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais de Arruda e pivô da crise no governo local. Caso seja expulso, Arruda não poderá concorrer nas eleições de 2010, uma vez que é necessário estar filiado ao partido há pelo menos um ano.


A crise que assola o governo do Distrito Federal isolou o único governador do DEM. Arruda responde a três processos de impeachment na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). Além disso, o presidente em exercício da Casa, Cabo Patrício, leu no fim da sessão extraordinária da noite de hoje o requerimento de criação de uma CPI para investigar denúncias de corrupção no governo do DF. (leia mais)


O dia também reservou um confronto entre policiais militares e dezenas de manifestantes, que pediam a saída de Arruda em frente à sede do governo do Distrito Federal.

Leia tudo sobre a Operação Caixa de Pandora

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!