Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Vice de Trump defende tolerância zero contra imigrantes ilegais e cobra mais ação do Brasil

 

Em visita oficial ao Brasil, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, defendeu, ao lado do presidente Michel Temer (MDB), a política de “tolerância zero” contra imigrantes que tentam chegar aos Estados Unidos ilegalmente. “Se não têm condições de entrar legalmente, não venham”, disse o vice americano.

“Queremos que vocês e suas nações prosperem e floresçam em toda a América Central. Não arrisquem sua vida e a vida de seus filhos entrando nos Estados Unidos. Se não têm condições de entrar legalmente, não venham", afirmou Pence. Ainda de acordo com o americano, o país recebeu mais de 1 milhão de imigrantes legais só no ano passado.

O governo americano tem sido duramente criticado pela política de tolerância zero com imigrantes ilegais pegos tentando entrar no país. Há pelo menos um mês, o governo americano endureceu a medida, o que levou à separação de mais de 2 mil crianças de suas famílias, que tentavam atravessar a fronteira que separa o Estados Unidos do México.

Há uma semana, a pressão doméstica e internacional fez com que Trump assinasse um decreto executivo para impedir a separação das famílias. A solução deve ser manter as crianças presas ao lado dos pais.

O cônsul-geral do Brasil em Houston, Felipe Santarosa, confirmou ontem (segunda, 25) que há pelo menos 51 crianças brasileiras separadas dos pais, detidos na tentativa de atravessar a fronteira.

Sobre as crianças brasileiras, Pence foi econômico nas palavras, e afirmou que os dois governos estão trabalhando para reunir as famílias novamente.

Se por um lado o vice americano aproveitou para adverter duramente os possíveis imigrantes ilegais, o governo brasileiro esperava uma postura mais colaborativa para sanar a tensão gerada pela separação das crianças brasileiras de suas famílias. Sem aceno de colaboração americana, Temer se dispôs a trazer os menores de volta ao país “se esse for o desejo das famílias”.

Cobrança

Além do aviso aos imigrantes da América do Sul e Central, Pence aproveitou para cobrar mais empenho do Brasil para solucionar a própria crise migratória que tem nas mãos. O americano afirmou que o país precisa adotar medidas mais firmes para isolar o governo de Nicolás Maduro.

Sem especificar quais medidas poderiam ser adotadas, Pence lembrou que o Brasil foi um dos principais países a pedir a expulsão da Venezuela do Mercosul e se uniu aos americanos para suspender o país de Maduro da Organização dos Estados Americanos (OEA)."Agora, chegou a hora de agir com mais firmeza, e os EUA pedem ao Brasil e às outras nações mais atitudes contra o regime de Maduro", disse.

Após o encontro, o chefe do Itamaraty, ministro Aloysio Nunes afirmou que a posição dos EUA sobre a Venezuela não coincide totalmente com a do Brasil. "Somos contra qualquer iniciativa unilateral em matéria de sanções. Para nós, o tema da Venezuela está colocado onde deveria estar colocado: na OEA, a Organização dos Estados Americanos".

*Com informações da Agência Brasil

Continuar lendo