Concursos previstos para 2012 somam 26,8 mil vagas

Número se refere apenas às vagas que devem ser abertas no âmbito federal dos três Poderes. Mas propostas em andamento no Congresso abrem mais de 110 mil postos federais

Para os concurseiros, 2011 foi um ano de pouca graça, sem grandes seleções nacionais e com poucas oportunidades de treinar o que aprenderam. Mas 2012 começa com outro cenário, a julgar pelo Orçamento da União aprovado pelo Congresso: apenas no âmbito federal, devem ser abertas 26,8 mil vagas por meio de concurso público.

A época de “vacas magras” é coisa do passado. Nos últimos meses de 2011, o Ministério do Planejamento já mostrou estar disposto a mudar a postura de austeridade anunciada no começo do ano. Nomeações, autorizações e uma proposta orçamentária não deixam dúvidas de que a agenda dos candidatos ao serviço público ficará bastante ocupada neste ano.

Dezembro foi recheado de novidades para os concurseiros. A publicação do edital do Senado, mesmo com erros e polêmicas; a seleção de 1,8 mil novos servidores para o INSS; as autorizações para as carreiras da Advocacia Geral da União e Polícia Federal e o anúncio da contratação do Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (UnB) para o novo concurso do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Os concursos do Executivo federal mais cobiçados estão listados aqui. A eles se soma a divulgação do edital do Senado, a expectativa de uma nova seleção da Câmara dos Deputados. Também devem ser realizadas seleções para o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e o Supremo Tribunal Federal (STF) ainda no primeiro semestre e, até dezembro, no STJ.

A previsão de gastos de 2012 reserva 150 vagas para analistas de controle externo da Controladoria Geral da União (CGU), 500 para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), 75 para analistas de infraestrutura e 157 para analistas de comércio exterior do Planejamento, sem contar as 1.872 chances nas polícias Federal e Rodoviária Federal e as 6.477 para substituição de terceirizados com contratos irregulares na administração direta e indireta do Executivo.

As agências reguladoras também se preparam para novos concursos: a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) termina o levantamento das áreas que precisam de reforço. A Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Agência Nacional de Águas (ANA), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e a Agência Nacional do Cinema (Ancine) aguardam autorização para, juntas, preencher 500 postos de trabalho.

Judiciário

A briga por reajustes dos servidores do Judiciário continua em 2012. Os aumentos salariais não foram previstos no Orçamento e ainda causarão polêmicas e greves. Um pouco afastados disso e confiantes de que cedo ou tarde os reajustes virão, concurseiros de todo o país se empenham para mais um ano dezenas de processos seletivos na área.

Apenas a Justiça Federal selecionará 1.891 novos servidores para atuarem em vários pontos do país. A Justiça Eleitoral, que tem provas marcadas para fevereiro de seu tribunal superior (TSE), preencherá 752 postos. Já a Justiça do Trabalho, campeã em expansão e seleções, precisa de 4.449 profissionais para atender às demandas surgidas.

Projetos de lei

A oferta de vagas no serviço público não deverá parar nos próximos 12 meses.  Os 38 projetos de lei que tratam do assunto no Congresso preveem a abertura de 111,7 mil vagas para os próximos anos, 94 mil só para professores e técnicos do Ministério da Educação (PL n.º 2.134/2011) e 1,2 mil, para diplomatas e oficiais de chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (PL nº 7.579/2010).

Também há textos em análise para tribunais do Trabalho. Pelo menos 16 regiões serão atendidas com 2.741 oportunidades a serem criadas caso as propostas sejam aprovadas conforme os projetos enviados.

Saiba mais sobre concursos públicos no SOS Concurseiro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!